Delirium

Uma parte importante de se manter apto e saudável é cuidar da sua saúde mental. E há muitas coisas que você pode fazer para que você se mantenha mentalmente saudável. Uma delas é conhecer os transtornos que afligem a população, como o Delirium.

O que é Delirium?

O delirium é um grave distúrbio nas habilidades mentais que resulta em um pensamento confuso e uma menor conscientização sobre o seu ambiente. O início dele geralmente é rápido - durando algumas horas ou alguns dias.

Como os sintomas desse transtorno e da demência podem ser semelhantes, a ajuda de um familiar ou cuidador pode ser importante para o médico fazer um diagnóstico preciso.

É preciso que você saiba que existem três tipos do distúrbio:

     Delirium hiperativo. Provavelmente o tipo mais facilmente reconhecido, que pode incluir inquietude, agitação, mudanças rápidas de humor ou alucinações.

     Delirium hipoativo. Isso pode incluir inatividade ou atividade motora reduzida, lentidão, sonolência anormal ou parece estar atordoado.

     Delirium misto. Isso inclui sintomas hiperativos e hipoativos. A pessoa pode rapidamente alternar de estados hiperativos para hipoativos.

Leia também:
       ·       Vença a Depressão
       ·       Controle a Ansiedade
       ·       Aumente a sua Autoestima

Sintomas de Delirium

Os sintomas do geralmente persistem ao longo de um ou mais dias, e pode haver períodos sem sintomas. Eles tendem a piorar durante a noite quando está escuro e as coisas parecem menos familiares. Veja os principais sintomas abaixo:

  1. Memória pobre, particularmente de eventos recentes.
  2. Desorientação, por exemplo, sem saber onde você está ou quem é
  3. Dificuldade em falar ou lembrar palavras.
  4. Discurso improvisado ou sem sentido.
  5. Dificuldade em ler ou escrever.

Mudanças de comportamento como:

  1. Ver coisas que não existem (alucinações).
  2. Inquietude, agitação ou comportamento combativo.
  3. Ligar, gemer ou fazer outros sons.
  4. Movimento lento.
  5. Hábitos de sono perturbados.
E distúrbios emocionais como:

  1. Ansiedade, medo ou paranoia.
  2. Depressão.
  3. Irritabilidade ou raiva.
  4. Euforia.
  5. Apatia.
  6. Mudanças de humor rápidas e imprevisíveis.
  7. Mudanças de personalidade.

O que causa Delirium

O delirium ocorre quando o envio e o recebimento normal de sinais no cérebro se deterioram. Esta deficiência é provavelmente causada por uma combinação de fatores que tornam o cérebro vulnerável e desencadeiam um mau funcionamento na atividade cerebral.

O distúrbio pode ter uma única ou mais de uma causa, como uma condição médica e a toxicidade da medicação. Às vezes, nenhuma causa pode ser identificada. Possíveis causas incluem:

     Certos medicamentos ou toxicidade de drogas.
     Abuso de álcool ou drogas.
     Condição médica.
     Desequilíbrios metabólicos, como baixo teor de sódio ou baixo teor de cálcio.
     Doença grave, crônica ou terminal.
     Febre e infecção aguda, particularmente em crianças.
     Exposição a uma toxina.
     Desnutrição ou desidratação.
     Privação do sono ou sofrimento emocional severo.
     Dor.
     Cirurgia ou outros procedimentos médicos que incluem anestesia.

Tratamento

O primeiro objetivo do tratamento para o delirium é abordar quaisquer causas ou desencadeantes - por exemplo, interrompendo o uso de um medicamento específico ou tratando uma infecção. O tratamento, em seguida, concentra-se na criação do melhor ambiente para curar o corpo e acalmar o cérebro.

Prognóstico

As taxas de morbidade e mortalidade são altas em pacientes com delirium, que são internados no hospital ou que desenvolvem delirium durante a internação. Essas taxas podem ser altas, em parte, porque esses pacientes tendem a ser mais velhos e a ter outros transtornos graves.

O delírio devido a certas condições (por exemplo, hipoglicemia, intoxicação por drogas ou álcool, infecção, toxicidade de drogas, etc) geralmente resolve-se rapidamente com o tratamento.

No entanto, a recuperação pode ser lenta (dias e até mesmo semanas ou meses), especialmente nos idosos, resultando em internações hospitalares mais longas, aumento do risco e gravidade das complicações, aumento dos custos e incapacidade de longo prazo.

Alguns pacientes nunca se recuperam completamente da doença. E até dois anos após o delirium, o risco de declínio cognitivo e funcional, e de morte é aumentado.

Portanto, se você é um paciente ou conhece alguém que é acometido pela doença, não hesite em lutar pelo tratamento. Só ele é capaz de dar qualidade de vida a quem sofre desse mal.


Postar um comentário

Blogger