Ninguém Me Respeita! Aprenda a Se Impor e a Dizer Não

Como Ser Respeitado? Aprenda a Se Impor e a Dizer Não
Aprendendo a se Impor: Assertividade
Você possui dificuldades em falar não? Acaba fazendo o trabalho dos outros por que não consegue reclamar? Fica calado e engole os desaforos que lhe fazem? Sente vergonha ou medo de pedir ajuda as outras pessoas? Em uma conversa ou discussão acaba balançando a cabeça e concordando com seu interlocutor por que não consegue expor sua verdadeira opinião?
Se você sofre com os problemas acima mencionados posso lhe dizer que possui dificuldades em se impor. Nesse artigo vamos falar sobre como se posicionar sem precisar ofender ou se agressivo com as outras pessoas. 

O Que é Assertividade? 
Ao contrário do que as pessoas costumam imaginar o termo não tem nenhuma relação com a palavra acerto (ou então seria “acertividade”). Assertividade vem de “Assero” que em latim significa “Afirmar”.        
Desse modo assertividade é o ato de proteger e defender os seus interesses e direitos pessoais. A expressão refere-se também ao comportamento de expor os seus pensamentos e sentimentos. Para ser considerada assertiva a comunicação deve respeitar os direitos dos outros.

Leia também
·       Vença a Timidez

Como Ser Assertivo ou Como Conseguir se Impor?
1. Tenha Ciência dos Seus Direitos
Percebo nas pessoas que alegam ter problemas em se impo certa dificuldade em compreender ou aceitar que possuem os mesmos direitos que as outras pessoas. Logicamente isso é consequência de baixa autoestima, mas mesmo que você não se ame é necessário saber que você pode e deve defender os seus direitos. Óbvio que quando eu falo de direito não estou me referindo aos que são garantidos pela nossa constituição, estou me referindo aos direitos assertivos.



2. O Que São Direitos Assertivos?
Tratam de prerrogativas que auxiliam o individuou a se relacionar com outras pessoas sem perder a sua identidade e expressando-se de maneira autêntica.
01
Eu tenho direito de me colocar em primeiro lugar às vezes.
02
Eu tenho o direito de não antecipar ou não adivinhar os desejos dos outros.
03
Eu tenho o direito de decidir se satisfaço a necessidade das outras pessoas ou se satisfaço meus próprios interesses, desde que isso não viole o direito de outrem.
04
Eu tenho direito de expressar meus sentimentos e opiniões.
05
Eu tenho direito de mudar de ideia e/ou de opinião
06
Eu tenho direito de pensar antes de tomar uma atitude ou decisão
07
Eu tenho direito de questionar o que eu não gosto e de demonstrar minha insatisfação
08
Eu tenho direito de cometer erros, desde que assuma a minha responsabilidade, mas não preciso me sentir culpado.
09
10
Eu tenho direito de dizer NÃO às coisas que me pedem e não me sentir culpado ou egoísta por fazer isso. 
11
Eu tenho direito de me sentir bem com quem eu sou sem precisar que os outros concordem com isso.
12
Eu tenho direito de pedir ajuda e escolher se quero a ajuda de alguém.

3. Saiba o Que Você Está Sentindo
A dificuldade em compreender os próprios sentimentos ou de aceitá-los acaba por dificultar que você mesmo saiba o que está lhe incomodando e consequentemente não sabe o que falar e nem como falar. Se você tem tanta dificuldade em saber qual é a sua vontade fica mais fácil ceder a vontade do outro. Então transforme a sua sensação de desconforto em palavras claras que expressem o que está lhe incomodando:
·       Essa tarefa não é responsabilidade minha
·       Discordo do que você está falando
·       Não tenho que pagar sozinho esta conta 
·       Prefiro ir a outro lugar
É importante que você também consiga identificar o sentimento que te domina nesse momento: “estou decepcionado”, “fiquei irritado” “me sinto triste” etc.

4. Correlacione os Seus Sentimentos a Situação
        Depois de ter dado o primeiro passo, que é identificar os seus afetos é necessário correlacionar elas a coisas ao que aconteceu. Caso sua queixa esteja relacionada à outra pessoa é necessário que você indique a atitude dela que lhe incomoda e como esse comportamento lhe afeta:
·       Fiquei irritado por você ter tomado essa decisão sem falar comigo.
·       Me deixa triste você trocar uma noite comigo pelo futebol com seus amigos.
·       Sinto-me desrespeitado quando você levanta a voz para se dirigir a mim.
  
5. Cuidado Com Os Gestos e Com as Palavras
Pergunte ao invés de supor:
Ficar tentando adivinhar ou analisar as razões que levaram o outro a se comportar de determinada forma é algo que não vai te levar a lugar nenhum. Se não souber a causa pergunte! Fazer isso é necessário pois os nossos sentimentos confundem a nossa percepção e senso de discernimento. Uma pessoa dominada pela raiva pode achar que o seu sócio está tentando lhe passar para traz, porém na mesma situação se esse indivíduo estiver calmo pode ter uma conclusão totalmente diferente. 
Atente-se a linguagem corporal:
Ela é tão importante para a nossa comunicação quanto as nossas palavras. Se estiver querendo se impor é importante tomar uma postura decidida com a coluna ereta, cabeça erguida e uma expressão séria no rosto. Você dificilmente vai conseguir ser levado a sério se estiver todo arqueado e com um sorriso amarelo de quem está pedindo desculpas.
Tome cautela com o que fala:
Nunca critique ou aponte uma característica do seu interlocutor seja ela física ou de personalidade, sua queixa deve ser por aquilo que ele faz agir assim ira evitar brigas e maus entendidos.

Evite também dizer que ele causou algo: “Você me humilhou” isso traz a sensação de acusação, além do que ele (a) pode não ter tido nenhuma intenção de fazer isso, diga como você se sentiu: “me senti humilhado”.

E as consequências?
É exatamente o medo das consequências que impede as pessoas de serem assertivas. Entretanto se você seguiu essas instruções e se certificou de que não foi agressivo ou mal interpretado é pouco provável que sofra represarias.

Mas vai ter que ouvir:
Uma vez que expressou os seus sentimentos e emoções está obrigado a ouvir o ponto de vista do outro.  Nessa ocasião é possível que você perceba que está equivocado, isso é perfeitamente normal e não quer dizer que você está sempre errado e nem que deva fazer prevalecer o seu ponto de vista, afinal ninguém é infalível.
Quando o conflito é inevitável: Por mais que você tente ser cordial, vão existir situações em que a disparidade de interesses será tão grande que inevitavelmente uma discussão acontecerá. Relaxe isso não é o fim do mundo, busque uma saída intermediaria de preferência na presença de um terceiro neutro (um juiz)

Como Ganhar Respeito: Faça as Pessoas te Respeitarem

1. Confie em si próprio
É difícil ter respeito por alguém balbuciante e inseguro. Se você quer ser respeitado é necessário ter autoconfiança. E isso só vem a partir do momento em que você adquire a convicção de estar fazendo a coisa certa no momento certo. Para tanto fale apenas daquilo que tem certeza, tenha as suas opiniões e decisões embasadas em fontes confiáveis. 

2. Saiba a hora de brincar
    Falar coisas indevidas e brincadeiras sem graças tiram o respeito de qualquer um. Você não precisa ser um chato, mas é necessário saber quando e com quem brincar. 

3. Maneire na simpatia 
Existe quem acredita que para ser aceito e bem quisto pelos demais é necessário estar sempre sorrido e dizer sim para tudo o que lhe pedirem. Bobagem as pessoas gostam de quem lhes frustram (não o tempo todo).

Quando o seu sorriso é mais difícil, as pessoas irão se esforçar mais para agradá-lo (a). Essa necessidade de agradar os outros pode ser decorrente de uma baixa autoestima.


4. Seja constante 
Não dá para respeitar alguém que uma hora diz uma coisa e logo depois fala outra totalmente diferente.  Também não dá para confiar em uma pessoa que vive de uma forma destoante daquilo que fala. Seja coerente e vai ser mais respeitável.

5. Mantenha a calma 
A capacidade de manter-se calmo mesmo nas situações difíceis é algo admirado por todo mundo. Quem sabe manter a calma mesmo sobre pressão consegue tomar decisões racionais nos momentos de crise e faz com que suas palavras tenham muito mais valor. 

6. Medo não é respeito
Quando você grita e fica nervoso pode até intimidar os outros, porém isso não é respeito. Quando as pessoas têm medo de você, eles te “respeitam” apenas quando está presente. O respeito verdadeiro perdura até na sua ausência. Além disso, o medo funciona apenas enquanto você detém poder (dinheiro, força física, prestigio etc.) e essas coisas passam e a situação muda (deixa de ser patrão, fica doente...). 

7. Faça bem suas tarefas
Seja no trabalho, em casa, com a família ou com os amigos, você sempre será incumbido de alguma tarefa. Quem é capaz de realizar os seus compromissos na hora marcada e com qualidade ganha o respeito dos demais. 
     
8. Cumpra o que promete
Existe um provérbio chinês que diz que as palavras de um homem devem ser como o relâmpago e o trovão, um sempre vem após o outro. Podemos substituir a palavra “homem” por “alguém respeitável”.

Pense nos políticos desse país, eles não são respeitados justamente por não cumprirem as suas promessas, na verdade eles são as maiores vítimas de piadas e chacotas justamente por esse motivo. Alguém que tem palavra é respeitada onde quer que ela vá. Se não puder cumprir algo não prometa e se por qualquer motivo não der para fazer o que prometeu dê satisfação.  

9. Se vista bem
Pode ser uma bobagem ou preconceito das pessoas, mas a verdade é que alguém bem vestido recebe mais respeito e atenção do que alguém maltrapilho. Não é à toa que os grandes palestrantes tendem a se vestir em trajes sociais durantes sua conferencias (quando homem de terno e gravata). Não é necessário estar vestido de gala o tempo todo, mas roupas limpas, em bom estado e combinando são essenciais.    

10. Respeite os outros
É primeira regra para conquistar respeito. Tratar as outras pessoas da forma como gostaria de ser tratado, com cordialidade e educação. Siga os protocolos sociais e lembre-se de pedir, por favor, e dizer obrigado para quem quer que seja. Lembre-se que você não sabe tudo e nem é o dono da verdade ouça o que os outros têm para dizer. 
Respeito é algo que se conquista, para tê-lo você precisa fazer por merecer então lute pelo respeito que você deseja.


Aprendendo a Dizer Não
Quantos problemas e preocupações você arranjou por não conseguir falar “não” na hora certa? Lembra-se das dívidas contraídas, do tempo perdido, das chateações e noites sem dormir que isso lhe custou? Então talvez seja à hora de aprender a dizer “não”.
Por que é tão difícil dizer não?
Existem vários fatores envolvidos, e é sempre bom analisar cada caso para ter certeza, mas de maneira geral as coisas que nos dificultam dizer “não” são:
Medo: como animais sociais, nós temos um grande desejo de sermos aceitos e amados, e uma parte de nós acredita que se dizermos não iremos magoar o sentimento da outra pessoa que irá se irritar conosco, “ficar de mal”, se vingar, etc... Se for um patrão ou superior no trabalho, acreditamos que se lhe negarmos algo seremos despedidos ou iremos sofrer outro tipo de represália.

Culpa: fomos educados, acreditando que as boas pessoas, estão sempre dispostas a ajudar o próximo em qualquer situação (ainda que sofram por isso), quando fugimos desse estereotipo, e dizemos “não”, somos invadidos por um sentimento de culpa ou um sentimento que estamos fazendo algo errado.

Pena ou dó: talvez você seja do tipo que se inunda de piedade pela pessoa que lhe pede algo (mesmo sendo algo abusivo), esses sentimentos minam a nossa força de vontade.

É mais fácil dizer “sim”: para falar “não” vamos ter que justificar esse “não”, expor nossas causas e motivos ou então inventar uma desculpa. Ao dizer “não” também iremos ter que lidar com a possível raiva ou frustração do outro (o que sempre é complicado). Negar um favor ao outro significa (nem sempre) que quando precisarmos, não poderemos contar com a ajuda dele. Dessa forma dizer sim parece bem mais fácil. 

Por Que Eu Devo Dizer Não?
Quando dizemos “não” a alguma coisa, estamos delimitando a nossa personalidade e nosso papel na sociedade, estamos mostrando quem somos e o que queremos; que não somos robôs programados para realizar a vontade dos outros. Dizer não é saudável e mantém a saúde de qualquer tipo de relação, afinal como você pode conseguir manter uma relação estando desgastado?
Dizer não é um direito básico garantido por lei “ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer nada a não ser por força da lei” (CF Art. 5°) 

Dicas Para Conseguir Dizer Não as Pessoas
Enfrente o medo: Quase sempre nossos temores surgem de fantasias, de coisas que estão apenas na nossa imaginação. O provável é que a outra pessoa não reaja tão mal quanto imaginamos. Para entender isso faça o seguinte exercício:
     Imagine que você é a outra pessoa (a que você pretende negar algo) ponha-se no lugar dela, na situação em que ela se ela se encontra, imagine-se pedindo esse favor, como você iria reagir? Isso vai te ajudar e dissipar algumas fantasias.
       
Lembre-se que se essa pessoa se não entender ou se irritar por ouvir um simples não, é por que ela não é sua amiga (o) de verdade e nesse caso é melhor que vá embora mesmo.

Enfrente a culpa: ninguém nesse mundo é perfeito e livre de errar, então por que você seria? Não é culpa sua se o outro se pôs em uma situação complicada, se encheu de dívidas ou compromissos, assim sendo não é sua obrigação ajudar, você ajuda se puder e não por obrigação.

Superando a dó ou a pena: será que a pessoa a qual está lhe solicitando ajuda é tão vítima da situação? Será que ela não é capaz de resolver sozinha os problemas dela? Outro ponto é que a sua ajuda pode fazer com que a pessoa se perpetue nesse problema, por exemplo, emprestar sempre dinheiro para aquele cunhado que não sabe se controlar vai fazer com que ele nunca aprenda a administrar as próprias finanças.
É realmente mais fácil dizer sim?: Quando você começar a mensurar as consequências de dizer sim você compreender que muitas vezes é bem mais fácil dizer não tanto para você quanto par a o outro.

Melhorando a autoestima: quando se está bem consigo mesmo é muito mais fácil dizer não, por que você já não está tão a mercê dos desejos e intempéries das outras pessoas. Aprenda a se valorizar e vai compreender que quem gosta de você, gosta pelo que você é e não pelo que você faz.

Lidando com chantagens: às vezes o que nos impede de dizer não a uma pessoa é a chantagem, seja ela emocional ou real. O chantagista usa como arma algum segredo que ele tem sobre você, ameaça para de fazer algum favor, apela pelo que já fez ou faz por você ou pelo sentimento que você tem por ele (a), geralmente os familiares são que mais nos chantageiam. Para vencer isso é necessário cortar o motivo, meça o que é menos doloroso ficar cedendo à vontade do chantagista ou contar a verdade a quem interessar, parar de receber o favor etc. Essa é uma decisão difícil, mas lembre-se que se não a fizer vai ser chantageado pelo resto da vida.

Busque outra solução: talvez o outro precise realmente da sua ajuda, entretanto você não pode ajudá-lo da forma como ele (a) pediu, mas será que não existe alternativa? Por exemplo, você não pode emprestar dinheiro a alguém, mas será que não tem como passar a informação de um trabalho para se conseguir um dinheiro extra ou propor que essa pessoa lhe preste um serviço (que você esteja precisando) em troca do dinheiro?

Aprenda a se virar: se você é do tipo que vive pedindo favores por ai, não tem como negar quando lhe pedirem algo, como diz o ditado “uma mão lava a outra”, e se você não quer fazer favores, então pare de pedir favores.
Aguente as consequências: ninguém nesse mundo vive sem medo ou sem sentimento de culpa, aprenda a conviver com isso também.

Antes de Dizer Não
Reflita bem sobre o que lhe foi pedido, será que isso é algo tão complicado e extravagante a ponto de não dar para fazer? Será realmente que você não pode dizer sim?