Como Controlar As Emoções?

Por vezes as nossas emoções nos fazem agir de maneira precipitada, magoar a quem amamos ou tomar atitudes das quais nos arrependemos depois.  Ao contrário do que você acredita ninguém é escravo das próprias emoções. Isso mesmo você pode controlar aquilo que sente. Não estou falando de reprimir os seus sentimentos ou engolir os seus anseios, mas de lidar com eles de forma racional e eficiente. Para tanto é preciso seguir alguns passos:

O que São Emoções? Entendendo a Raiz do Problema
Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, emoções não são coisas subjetivas que acontecem apenas dentro da mente humana.
 Trata-se de experiências que envolvem reações orgânicas, bioquímicas e comportamentais. As emoções modificam a frequência cardíaca, a respiração, coloração da pele, tonicidade muscular, além de provocar diversas outras alterações no organismo.
Leia também:

Como Acontecem As Emoções?
Para te ajudar a compreender melhor esse fenômeno vou dar como exemplo uma situação em que a emoção “medo” aparece.  Imagine a seguinte situação... Uma mulher se depara com um cão feroz, os seguintes fenômenos acontecem:



Vamos explicar a imagem:
1. Um estímulo externo é percebido pelo sujeito  
2. Com base em suas experiências pessoais e culturais a moça identifica o estímulo como sendo algo perigoso, a amígdala Cerebral é ativada 
3. Uma mensagem de alerta é enviada para o hipotálamo, este envia uma mensagem ao sistema endócrino para liberar hormônios de estresse (adrenalina e cortisol) 
4. O raciocínio fica mais rápido, o batimento cardíaco aumenta e eleva o fluxo sanguíneo nos membros (braços e pernas). O corpo libera mais glicose, o que significa mais energia para uma reação, a pupila se dilata, o que melhora momentaneamente a visão 
5. O indivíduo está pronto para lutar ou fugir.

Você Pode Estar Viciado(a) Nessa Emoção
        Sim emoções viciam! Tanto pelas reações bioquímicas e substancias liberadas por elas quanto pelos ganhos secundários.
Para exemplificar, uma pessoa que tenha explosões de raiva constantes pode gostar da sensação de adrenalina pelo corpo que lhe faz se sentir mais forte e resistente, além de apreciar a cara de medo das outras pessoas e o fato delas cederem mais facilmente a suas vontades (ganhos secundários).
Em alguns casos a emoção traz uma sensação de alívio. O choro de tristeza ou raiva após uma situação “desagradável” pode ser tão reconfortante quanto um cigarro ou uma dose é para um viciado. Sem contar que não é incomum que alguém venha consolar quem chora e até se disponha a ajudar a resolver o problema (ganho secundário).
Se for esse o seu caso trate o seu problema com essa emoção como um vício, talvez esse artigo lhe ajude:

4 Passos Para Controlar as Emoções

1° passo: Identifique o que está sentindo
Entenda que tipo de sensação e/ou emoção está tomando conta de você, não esconda e nem tente reprimir se for algo que você considere negativo, por exemplo, raiva, inveja, ciúme, etc. Quanto melhor souber o que lhe está incomodando, mais ferramentas você terá para poder reagir. Pergunte a si mesmo:
·       Quais sensações eu estou tendo nesse momento?
·       O que estou pensando nesse agora?
·       O que eu quero neste instante?

2° passo: Atente-se para o que você está pensando
         Nas situações em que as emoções são fortes a mente costuma ser inundada de uma forma de pensamento sob os quais não temos muito controle e sugerem coisas como:
·       Ele está querendo me passar para trás
·       Todos estão rindo de mim
·       Estão se achando melhores do que eu
·       Eu nunca faço nada direito

Para entender melhor sobre o que eu estou falando leia o artigo Pensamentos automáticos.
Esses pensamentos repentinos e recorrentes parecem dominar a sua vontade e as suas emoções, porém se você os analisar com lógica irá perceber que eles são superficiais e tolos e por isso te levam a conclusões absurdas:
·       Meu marido está me traindo
·       Vou ser despedido
·       Ninguém aqui gosta de mim
Para evitar tais distorções cognitivas siga os seguintes passos:
·       Evite generalizações
·       Não exagere
·       Analise os fatos de maneira integral
·       Detenha-se aos fatos
·       Ouça a opinião de terceiros

3º passo: Relaxe
Eu já mencionei anteriormente, as emoções não se limitam a processos subjetivos, mas também incluem reações orgânicas e comportamentais. Não! As alterações fisiológicas não são apenas respostas físicas as emoções, mas elas são parte integrante destas. Desse modo ao controlar as reações orgânicas você também controla a emoção. Alguns exemplos de reações fisiológicas são:
·       Respiração ofegante
·       Aperto no peito
·       Frio na barriga
·       Aperto (nó) na garganta
·       Coração acelerado
         É interessante notar que algumas manifestações estão mais relacionadas com uma emoção do que com outra, por exemplo, o nó na garganta com angustia e o frio na barriga com o medo.
Como controlar essas manifestações? Exercícios de relaxamento são indicados a centenas de anos como forma de acalmar a mente e as manifestações orgânicas.
Existem muitas técnicas de controle da respiração, relaxamento corporal e distração psicológica se quiser conhecer algumas delas leia o artigo: Técnicas de relaxamento.

4° passo: Comporte-se!
Como já mencionei as emoções também estão ligadas a certos comportamentos, por exemplo:

Raiva: gestos vigorosos e expansivos, fala rápida e alta, punhos cerrados, etc.
Tristeza: gestos lentos e contidos, pouca movimentação, isolamento, choro etc.

Ao controlar tais comportamentos você também dominará a manifestação da emoção. Convenhamos pode ser difícil subjugar as emoções, por isso mesmo ninguém exige que se faça isso, no entanto controlar a maneira como se age é possível e você faz isso o tempo todo. 

Estas são algumas dicas, espero que tenham ajudado se quiser mais informações veja os links ao longo do artigo e se gostou não deixe de compartilhar...