Dislexia

Dislexia

Às vezes os pais percebem que seu filho não consegue aprender como as demais crianças, de forma rápida. É comum que percam a paciência enquanto tentam ajudar a entender a lição de casa e agridam verbalmente a criança. No entanto, essa dificuldade no aprendizado pode se tratar da dislexia. 

O que é dislexia?

A dislexia é caracterizada pela dificuldade no aprendizado que trás como consequência um atraso na escrita, fala e soletração da criança. É comum que seu diagnóstico seja dado ainda na infância enquanto ela se encontram no período de alfabetização, mas este transtorno pode ser diagnosticado em adultos também.
       
       Este distúrbio acaba interferindo no aprendizado da leitura e também das palavras. É por isso que qualquer criança que tenha lentidão no aprendizado ou fluência na fala precisa ser examinada para que essa hipótese seja descartada. Geralmente ela ocorre mais comumente nos meninos que nas meninas.
Leia Também:

Como identificar a Dislexia?

Para que a dislexia seja identificada é necessário ter atenção com algumas características que são comuns desta doença. Elas auxiliam a dar o diagnóstico nas crianças que apresentam este distúrbio de comunicação.

Alguns dos sinais que essa condição dá de forma clara são hesitações ou retardos na escolha das palavras, substituir palavras e nomear letras e números.

Crianças que apresentam este distúrbio que se encontram na idade pré-escolar demoram muito para falar. Também podem apresentar algum problema para articular as palavras e dificuldades para conseguir se lembrar de letras, cores e números.

Combinar sons, rimar as palavras, segmentar as palavras em sons, identificar o número de sons que as palavras possuem e identificar a posição ocupada pelos sons nas palavras.

Quais os sintomas que a dislexia apresenta?

A dislexia é caracterizada como uma dificuldade na escrita, fala e soletração. Normalmente ela ocorre enquanto se está na infância, no período de alfabetização. Porém, os adultos também podem ser diagnosticados com este distúrbio.

       Apesar dela não ter cura, tanto a criança quanto o adulto pode ter melhor qualidade de vida após fazer o tratamento adequado.

Na infância, a dislexia têm os seguintes sintomas:
     A aquisição da fala tem um atraso;
     O desenvolvimento motor como sentar, andar e engatinhar sofre um atraso;
     A criança não consegue entender o que está ouvindo;
     Há uma dificuldade para aprender a andar num triciclo;
     Dificuldades para se adaptar à escola;
     Pode ser uma criança hipoativa ou hiperativa;
     Tem problemas em dormir;
     Inquietação ou agitação e choro com frequência.

     Quando a criança tem 7 anos em diante os sintomas deste distúrbio podem ser:
     Pode fazer a lição rapidamente, mas com vários erros ou demorar muito tempo para fazê-la;
     Tem dificuldade na leitura e na escrita, inventar, acrescentar ou até omitir palavras;
     Dificuldade para compreender os textos;
     Pode haver omissão, acrescentar, inverter ou trocar a direção e ordem das sílabas e letras;
     Dificuldade para se concentrar;
     Criança não tem vontade em ler principalmente quando é em voz alta;
     A criança fica com dor na barriga antes de ir para a escola ou tem febre nos dias que os testes são realizados, tudo porque não gostar do ambiente escolar;
     A linha do texto é seguido com os dedos;
     Fácil esquece o que foi aprendido há pouco tempo e se perde no tempo e espaço;
     Se confunde entre a direita e esquerda, baixo e cima, atrás e frente;
Apresenta dificuldade para ler as sequências, as horas e contar (normalmente precisa dos dedos);
     Não gostar de leitura, matemática, escrita e da escola;
     Tem dificuldade para soletrar;
     Sua escrita é lenta, desordenada e ilegível.

A criança que tem dislexia também costuma apresentar dificuldade para abotoar, andar de bicicleta, manter o equilíbrio, fazer exercícios físicos e amarrar os sapatos. Também pode trocar o R pelo L quando fala que pode ser causado pelo distúrbio que é chamado de dislalia.

    No adulto, os sintomas da dislexia podem ser:
     Passar muito tempo para fazer a leitura de um livro;
     Quando lê os finais das palavras são saltados;
     Tem dificuldade para pensar no que escrever;
     Tem dificuldade para fazer anotações;
     Sente dificuldade para seguir sequências e o que os outros estão dizendo;
     Dificuldade para gerir o tempo e fazer cálculo mental;
     Teima em escrever;
     Dificuldade para compreender de forma adequada o sentido do texto;
     Precisa reler várias vezes um texto para compreendê-lo;
     Dificuldade para escrever, troca as letras, esquece ou faz confusão quanto à gramática e a pontuação;
     Confunde números de telefone ou instruções, por exemplo;
     Dificuldade para planejar, organizar e manejar o tempo ou as tarefas.

Porém, o indivíduo que tem dislexia é sociável e têm boas habilidades quando se trata da linguagem oral.

Causas da dislexia

A dislexia não tem suas causas totalmente esclarecidas, mas acredita-se que esteja relacionada com fatores genéticos, um desenvolvimento tardio do sistema nervoso central, comunicação se apresenta pouco eficaz entre certos neurônios e estruturas cerebrais desorganizadas.
Além desses fatores também podem causar a dislexia as dificuldades no parto e início da vida como desnutrição ou encefalopatias, por exemplo. 

Formas de tratamento

Para tratar a dislexia adequadamente é preciso ver quais as necessidades que o indivíduo apresenta. No entanto, ela pode envolver psicólogo, pedagogo, médico neurologista e fonoaudiólogo.
É muito importante que seja feito o tratamento psicológico da dislexia. Afinal, é comum que um disléxico tenha uma auto estima baixa e dificuldades nos relacionamentos interpessoais por causa da dificuldade de aprender.
O tratamento fonoaudiológico auxilia na fala e pronúncia. Como consequência há uma melhora na escrita. Em certos casos este profissional é indispensável.
A dislexia também pode ser tratada com medicamentos, mas ele somente é indicado quando existem outros fatores envolvidos como o transtorno da atenção e problemas no comportamento.
Essa indicação é feita desses casos, pois não há um medicamento específico para a dislexia assim como não há uma terapia exclusiva para quem tem este distúrbio.

Resumindo…
    A dislexia é um distúrbio que comumente é diagnosticado na infância, mas que também pode ser identificado nos adultos. Identificar este distúrbio requer atenção já que são vários que podem ser observados. Para tratar é necessário um fonoaudiólogo, neurologista, pedagogo e psicólogo.
O que você achou deste conteúdo? Deixe sua opinião e compartilhe.