Tipos de depressão

Cada vez mais aparecem casos de pessoas que estão com depressão. Essa doença é responsável por alterar o estado de ânimo da pessoa e isso acaba afetando todas as áreas e não apenas a saúde. É comum que quem tenha essa doença fique abatido, triste, desesperançoso, sem vontade de fazer nada.

O pior é que cada vez mais está aumentando a quantidade de pessoas que sofrem com este transtorno. O motivo de alguém ter este transtorno pode ser tanto a genética quanto os fatores fisiológicos. Mas independente disso, é importante que a depressão seja superada.

Apesar de muita gente acreditar essa doença é única, ela se divide em alguns tipos. Os principais iremos abordar a seguir:    
          ·       Dicas Para Vencer a Depressão
          ·       Depressão: causas e tratamentos
          ·       Depressão pós-parto



Depressão atípica

Seus sintomas são muito parecidos com os de uma depressão maior. Esta é uma das formas que aparecem com mais frequência na população. Assim como acontece com qualquer outro tipo de depressão, a angústia e a tristeza se fazem presentes em quem tem a depressão atípica.


Seu aparecimento é mais comum na adolescência e entre o público feminino que no masculino. Seus sintomas são bem mais leves, mas mesmo assim seu diagnóstico é difícil. Os sintomas mais comuns são:
     Apetite aumenta e consequentemente há o ganho de peso;
     Problemas de relacionamento;
     Vontade de dormir exagerada;
     O interesse por atividades rotineiras é perdido;
     Sensação de vazio;
     Dificuldade para lidar com as críticas e a rejeição o que causa desconforto nas suas relações;
     Problemas para conseguir manter relacionamentos duradouros;
     Evita relacionamentos por medo da rejeição;
     Apresenta uma pequena oscilação no humor ficando mais animada e logo se entristecendo novamente.
mulher em posição fetal

Perturbação Depressiva Sazonal
Este tipo de depressão é bem mais rara no Brasil que nos países que integram o Hemisfério Norte. Além do mais, alguns pacientes depressivos pioram os sintomas depressivos quando estão em dias que o Sol não aparece.

Muitas delas apresentam alterações no apetite, sono, humor e energia num grau menor ou maior. Algumas apresentam mudanças que chegam a incomodar, mas que não justificam uma consulta com o médico.

Perturbação Depressiva Breve Recorrente

Neste tipo de depressão o episódio depressivo acaba se repetindo. Habitualmente ela se inicia na adolescência ou início da idade adulta. Quem sofre com essa depressão tem fases depressivas que chegam a durar meses ou até anos, mas que são intercaladas por fases com humor normal.

A perturbação depressiva breve recorrente é muito incapacitante e apresenta natureza unipolar, ou seja, que não apresenta episódios de hipomania ou mania.

 Perturbação Depressiva Recorrente

Este tipo de depressão é caracterizado por repetidos episódios de depressão que se alternam em períodos de normalidade que aparenta ter havido uma remissão dos sintomas. Quem convive com este transtorno acaba sofrendo com a sensação inesperada de perda de prazer nas atividades mesmo as que são mais apreciadas.

É comum que sinta desânimo e cansaço. O que poderia ser avaliado como um pequeno problema anteriormente acaba gerando impaciência e irritação. Parece que a vida ao redor mudou, tudo ficou mais hostil e opaco.

Mesmo que esses episódios sejam leves, quem sofre com essa doença se sente impotente quando se depara com as oscilações de humor que são incontroláveis. É comum que suportem calados e torçam para que nenhuma pessoa os surpreenda na crise de choro que chega sem dar nenhum tipo de aviso.

Em outras vezes acabam fazendo uma tentativa arriscada de confessar que mais uma vez estão deprimidos; se sentem sem valor e culpados. É como se fosse preciso pedir desculpas por estarem sofrendo com o transtorno.

Episódio Depressivo Psicótico

O episódio depressivo psicótico geralmente ocorre na forma de episódios que os sintomas psicóticos são bem marcantes já que envolve delírios e alucinações. Além desses sintomas a pessoa pode não sentir prazer, sentir-se incapaz, ter incapacidade intelectual, constipação, perda de interesse entre outros.

Também é possível observar distúrbios psicomotores. São eles que originam principalmente a ansiedade, ruminação e disfunção cognitiva. É a disfunção psicomotora que demarca a depressão geral da psicótica.

Episódio misto de ansiedade e depressão

Esta condição é caracterizada pela presença dos sintomas depressivos e ansiosos. Vale ressaltar que neste caso nem a síndrome depressiva nem a ansiosa são graves o suficiente para que de forma individual constitua um diagnóstico único. É por isso que esse quadro de distúrbio recebe essa denominação.


Depressão Bipolar

      O transtorno bipolar trata-se de um distúrbio psiquiátrico complexo que têm como característica a alternância de euforia e períodos assintomáticos. Isso pode ou não acontecer de forma súbita. Ela divide-se em dois tipos o I e o II.


Depressão Bipolar Tipo I

Quem apresenta essa doença tem períodos com mania que podem durar pelo menos sete dias e fases com humor deprimido que podem se estender de duas semanas há vários meses. Os sintomas costumam ser intensos tanto na depressão quanto na mania e as mudanças provocadas no comportamento e na conduta são profundas.

Isso pode comprometer o desempenho profissional, a segurança e até a posição econômica do paciente bem como das pessoas com convivem com ele.

O quadro pode ser tão grave que pode ser exigida uma internação hospitalar em decorrência das chances do paciente cometer um suicídio aumentar e da incidência de algumas complicações psiquiátricas.

Depressão Bipolar Tipo II

Este tipo de doença é marcado pela alternância entre os episódios de hipomania e depressão. Ou seja, o paciente ora está com uma euforia mais leve, otimismo, excitação e em outros momentos apresenta agressividade. Mas isso não causa um prejuízo maior ao comportamento nem as atividades do portador.

Distimia

Esta é a forma crônica da depressão, mas ela é menos grave que a forma mais conhecida desta doença. Os sintomas da depressão com a distimia podem durar um período longo que em muitos casos chega a dois anos ou mais.

Quem têm a distimia pode ficar sem interesse para realizar atividades diárias normais, não têm esperança, a produtividade é baixa assim como a auto estima além do sentimento de inadequação. Como essas pessoas constantemente reclamam e não conseguem se divertir, as outras pessoas as consideram excessivamente críticas.

Resumindo…
Existem alguns tipos de depressão que se diferenciam entre si, mas que nem sempre é fácil distinguir um do outro. É possível que o paciente esteja aparentemente bem num dado momento e praticamente de forma repentina tenha uma crise.

O que você achou? Deixe seu comentário e compartilhe essa página com seus amigos.