Carência Afetiva

O que é carência afetiva?

A capacidade de amar e aceitar o outro são coisas que fazem parte da vida do ser humano. E tão importante quanto dar afeto às pessoas que amamos é também recebê-lo. Normalmente, os primeiros carinhos que recebemos vêm de pai e mãe e, uma infância na qual a pessoa não o recebe muito, pode resultar em carência afetiva na vida adulta. Estima-se que cerca de 28% da população brasileira considera ter recebido pouco carinho durante a vida.


Talvez isso explique o fato de vermos atualmente tantas pessoas dependentes de um companheiro para sentirem-se felizes e completas. Indivíduos carentes costumam jogar nas costas do cônjuge a responsabilidade de fazê-lo feliz, e isso acaba por tornar-se um peso, pois ninguém detém esse poder. É também por essa razão que vemos tantas pessoas submeterem-se a relacionamentos ruins e destrutivos. Elas são tão carentes que acabam acreditando que seriam menos felizes sozinhas do que ao lado de um companheiro que as maltrata.

É dessa forma que a carência afetiva pode afetar profundamente a vida de um indivíduo, prejudicando-o na construção de vínculos, sejam eles amorosos ou de amizade. Uma pessoa carente vive insegura, com medo de que o seu parceiro vá deixá-la a qualquer momento ou que os seus amigos não o consideram de verdade e sofre muito por conta destes pensamentos. Todos nós passamos por momentos em que nos sentimos um pouco mais frágeis emocionalmente, mas um indivíduo carente vive em constante crise.

Leia também:
·       Vença a Ansiedade
·       Saia da Depressão

Como se Desenvolve a Carência Afetiva?

Você provavelmente já ouviu dizer que educação vem de berço, correto? Pois bem, podemos considerar que a carência também. Isso porque a capacidade de um ser humano dar e receber afeto é desenvolvida muito cedo, logo na primeira infância. Crianças que não receberam muito afeto durante a infância crescem com uma dificuldade em lidar com este sentimento e tendem a desenvolver a carência afetiva. Isso pode ocorrer em decorrência de episódios reais, como abandono pelos pais, ou diante da interpretação da criança a respeito de um fato traumático, como a separação dos pais, por exemplo.


O contrário também pode desencadear a carência afetiva na vida adulta. Crianças que cresceram com excesso de cuidados e mimos por parte dos pais, que sempre foram superprotegidas, podem sentir-se incapaz de realizar quaisquer atividades sozinhas quando chegam à vida adulta. Elas também condicionam a sua felicidade às outras pessoas, pois nunca fizeram nada sozinhas quando pequenas, os pais sempre tomavam a frente.

Menina sozinha e carente


O fato é que quanto menos uma pessoa acostuma-se desde pequena a dar e receber carinho, maior será a dificuldade de vencer essa barreira no futuro. Portanto, se você sofre com este problema, procure ajuda para solucioná-lo, pois ele afeta profundamente seus relacionamentos, te colocando sempre em situações traumáticas e que só agravam o seu quadro. Você precisa se cuidar antes que estes sentimentos se transformem em atitudes que afastam de você as pessoas que você ama. O resultado? Mais carência. É por isso que uma pessoa carente precisa de ajuda.

 
Quais São os Sintomas da Carência Afetiva?

Se você chegou até esse artigo, provavelmente você esteja com dúvidas em relação ao fato de você sofrer ou não de carência afetiva. É claro que muitos curiosos ou até mesmo estudiosos irão chegar até essa página. Mas, independentemente de qual seja o seu caso, existem alguns sintomas através dos quais é possível identificar uma possível carência afetiva. São eles:


·       Acredita que a sua felicidade não depende de você, mas das pessoas com as quais você se relaciona?

·       Aceita condições impostas pelo seu parceiro, mesmo que elas sejam humilhantes ou degradantes por medo de ficar sozinho?

·       Seus relacionamentos duram pouco e, na maior parte das vezes, a iniciativa para o término vem do seu parceiro, que se queixa do fato de sentir-se cobrado a fazê-lo feliz o tempo todo?

·       É ciumento demais? Sofre só de pensar que o seu parceiro pode olhar para outra pessoa?

·       Abandona todos os seus planos para embarcar na vida escolhida pelo seu parceiro?

·       Não sabe quais qualidades busca em um parceiro, ou melhor, não busca nenhuma: encontrar qualquer pessoa que queira ficar contigo já basta?

·       Compara a sua vida com a do seu vizinho, do amigo de infância, daquele colega do trabalho e acha que todos eles são mais felizes que você?

·       Tenta chamar a atenção das pessoas e às vezes até chega a se fazer de vítima para que elas se comovam com a sua história.

       Se você respondeu sim à maior parte das perguntas acima, sim, você sofre de carência afetiva e precisa urgentemente fazer algo para mudar essa situação.

Dicas e Técnicas Para lidar Com a Carência Afetiva

E se você chegou a essa conclusão, provavelmente já esteja se perguntando por onde começar a mudança. Não é um processo fácil, mas também não há motivo para desespero: os exercícios abaixo irão ajudá-lo a superar parte da carência. Se julgar necessário, ir a um psicólogo também pode ajudar.


Aprenda a ficar sozinho(a)
Estar só algumas vezes faz bem. Você aprender a apreciar a sua própria companhia e passa a descobrir outras formas de felicidade. Buscar um parceiro passará a significar que você deseja dividir a vida com alguém, e não mais a única forma de felicidade possível.


Veja amor por onde passa
O amor não se resume a uma relação afetiva. Você pode receber amor de pais, irmãos, amigos e nem sempre as pessoas irão dizer a você o quanto o amam. Cada uma terá sua forma de demonstrar afeto e fazer algo para vê-lo feliz.


Ame e reconheça a si mesmo
Se você ama alguém, você não perdoa suas falhas e defeitos? Então por que quando falamos de amar a si mesmo você age diferente? Antes de amar outra pessoa, você precisa aprender a amar e aceitar a si mesmo com todos os seus defeitos e qualidades e reconhecer que você pode ter dificuldades em alguns pontos, mas por outro lado também é bom em uma porção de coisas.