Amor Doentio: o que é Isso e Como Lidar

Tem muita gente por aí que já passou por alguma experiência mal sucedida com relacionamentos. São vários os motivos que levam alguém a questionar se uma relação amorosa é saudável ou não. Afinal, existe uma grande diferença entre amor, paixão e a obsessão. Uma única pessoa pode passar por todos esses sentimentos durante a vida.

A paixão e a obsessão podem ser confundidas no início, pois ambas apresentam aquela euforia e palpitação quando estamos próximos da pessoa amada, mas quando a paixão passa e o sentimento continua o amor então aparece. Porém se nervosismo toma conta, quando o sentimento presente na paixão volta à tona, quando a pessoa amada não sai dos pensamentos, quando uma dor terrível toma conta só de imaginar a perda do parceiro ou parceira, provocando também atitudes irracionais, é aí que a obsessão aparece.

Um dos grandes exemplos que pode ser citado aqui é quando você percebe que o seu parceiro ou parceira sofre de amor obsessivo. O curioso nisso tudo é que esse tipo de obsessão não acontece apenas entre casais, é possível ver casos entre amigos, familiares ou mesmo desconhecidos que nutrem esse sentimento por alguém.

Você já passou por isso? Conhece alguém que já passou por isso? Ou quer saber mais sobre o assunto para se prevenir disso no futuro? Leia este artigo sobre amor obsessivo e descubra tudo sobre essa situação extremamente desagradável.
Leia Também:
·       Dependência Emocional
·       Como controlar o Ciúme

amor dentio

O que é amor obsessivo?

É considerado um transtorno compulsivo, que deve ser tratado e acompanhado por um profissional da saúde. Afinal, quando esse transtorno não é controlado, tanto o paciente quanto as pessoas que convivem com ele podem correr sérios riscos.

A psicoterapia é o tratamento indicado para quem sofre com esse transtorno. É importante lembrar que o ciúme é um sintoma e não o problema em si! Por isso preste atenção a todas as formas de descobrir se o seu parceiro/parceira, você ou algum conhecido está passando por isso.

Como identificar o amor obsessivo 

Com toda certeza você já viu algum caso desse amor, pode até não se lembrar, mas certamente já presenciou algo nesse sentido. Quer alguns exemplos de como esse tipo de amor obsessivo se manifesta? Veja a lista a seguir:

Em relacionamentos amorosos:
·       A mulher/homem não permite que o outro tenha contato com pessoas do sexo oposto
·       A mulher/homem não permite ou fica irritada quando o parceiro/parceira conversa com outras pessoas
·       O homem não gosta quando a mulher se arruma e chama a atenção de outros homens
·       O homem implica com a roupa/maquiagem da mulher
·       A mulher/homem desconfia do futebol com os amigos, reuniões de trabalho, passeios com amigos entre outras atividades;
·       O ciúme passa a atrapalhar a relação do casal, causando brigas e situações desconfortáveis
·       Atitudes constrangedoras do cônjuge em público

Em amizades:
·       A/o amiga/amigo fica irritado quando vê aquele amigo específico conversando com outras pessoas;
·       A/o amiga/amigo fica irritado quando a pessoa tem compromissos com outras pessoas;
·       A/o amiga/amigo liga ou envia mensagens constantemente, mesmo quando não há necessidade ou quando não tem assunto;
·       Aquele amigo que não sai de perto de você e que tem necessidade de fazer todas as coisas possíveis juntos.

Esses são apenas alguns exemplos de situações em que o amor obsessivo pode ser notado. No entanto, existem muitos outros sintomas que podem ser identificados em pessoas que sofrem com transtorno obsessivo, ou melhor, com amor obsessivo por alguém.

Ter perfil controlador
Pessoas que sofrem de amor obsessivo costumam querer ter total controle da vida daqueles que amam, tornando-se incontrolavelmente paranoicos, acreditando que qualquer coisa é suspeita. Com a paranoia sem sentido podem aparecer perseguições, seguindo cada passo do parceiro/parceira. Além de poder ocasionar o fim de um relacionamento, a vidada pessoa que vive esse transtorno torna-se insuportável.

Rejeição
Essa palavrinha tão pequena pode causar o fim da estabilidade na vida de uma pessoa que sofre de amor obsessivo. Perder a pessoa amada, mesmo que não signifique uma relação amorosa, é o pior medo na vida de quem sofre desse transtorno. Se a rejeição de fato ocorrer, qualquer loucura pode fazer com que a pessoa transtornada ter um surto, ameaçando suicídio, homicídio, entre outros absurdos.

A pessoa amada é o centro do universo
É exatamente assim que a pessoa que sofre com o amor obsessivo sente-se em relação à pessoa amada. Quem possui amor obsessivo pode até negligenciar a saúde, a família, a profissão e ficar isolado com o objetivo de manter o companheiro dominado. A pessoa que não inicia um tratamento passa a ter dificuldades em se relacionar com qualquer outra pessoa, até mesmo da família e se o tratamento não for iniciado a reinserção em sociedade pode ser ainda mais complicada.

Depressão
Quem sofre com amor obsessivo entra em depressão pelos menores motivos que aparecem. Uma briga fútil, uma desconfiança gerada pela imaginação aguçada da pessoa transtornada...

Quando a pessoa amada não está por perto é como se o mundo não tivesse mais graça, como se nada fizesse sentido. Com o avançar do transtorno as crises de depressão passam a ficar cada vez mais frequentes.

Como lidar e tratar o amor obsessivo

Primeiramente é preciso ter calma e paciência para conseguir conviver com alguém que sofre de amor obsessivo. Afinal, qualquer atitude precipitada fará com que a pessoa entre em um surto, podendo ter atitudes extremas. Para iniciar o tratamento é preciso primeiramente fazer a pessoa enxergar e admitir que precisa de um tratamento e que as atitudes que tem tomado não são corretas. Sem terapia os sintomas podem evoluir para depressão, fobias como a síndrome do pânico, além de ansiedade extrema.

Psicólogos recomendam que a pessoa que sofre desse transtorno deve mentalizar e ter as seguintes coisas como objetivo: primeiramente escolha um parceiro ou uma parceira porque a ama, e não para preencher um vazio físico ou emocional; sempre ame mais você que qualquer outra pessoa; aprenda a se conhecer melhor, pense o que você realmente quer para sua vida e qual o tipo de relacionamento você deseja manter; encontre outras coisas que te satisfaçam, tais como esportes, hobbies, família e amigos. Com todas essas dicas e com o tratamento adequado, você ou algum conhecido que passe por esse transtorno com certeza conseguirão superar e finalmente seguir a diante.

Agora você consegue entender o que é amor obsessivo? Esse é um transtorno complicado e que exige paciência e tato no tratamento. Por isso lembre-se de como identificar esse tipo de transtorno, aprenda a observar as características, os desvios de personalidade, mudanças nas pessoas com quem você convive... E se identificar alguma semelhança com o seu comportamento ou com as atitudes de amigos, parentes e amores, procure ajuda imediatamente.

Quanto antes o tratamento for iniciado, antes aparecerão os resultados. E com isso menos riscos correm o paciente e aqueles que convivem com ele. Não espere a situação ficar irreparável para procurar auxílio, esse problema pode se transformar em algo muito grave, podendo fazer extremamente mal para todos os envolvidos com o paciente. Lembre-se que você é a pessoa mais importante para você mesmo, nunca se diminua por alguém, nunca faça de alguém o seu mundo, nunca sufoque quem você é por alguém. Amor é algo que faz com que queiramos construir um mundo juntos, por isso ande lado a lado, caminhem juntos para alcançarem a felicidade mútua.

Postar um comentário

Blogger