Ads (728x90)

.

Paralisia do sono, narcolepsia, alucinações relacionadas sono

O sono possui vários estágios durante a noite, que lhe permitem ficar desligado durante o descanso. A paralisia do sono é um sinal de que há algum comprometimento em um desses estágios.

Pessoas que são acometidas pela paralisia do sono perdem o controle do corpo, porém continuam com a consciência intacta. É como se, ao acordar, o indivíduo estivesse paralisado. A noção de espaço e tempo permanece ativa, porém o controle físico do corpo fica prejudicado.

O foco para a paralisia do sono está no cérebro. Alguma região do cérebro fica desligada, mesmo que o acometido esteja com os olhos abertos.

Os efeitos comportamentais são múltiplos. Fisicamente, há relatos na ciência de pacientes que tenham sentido pressões psicológicas e emocionais e até mesmo sensações de asfixia é apontada pelas vítimas do problema.

Geralmente, essa patologia é acompanhada de outros distúrbios relativos ao sono como a narcolepsia, que é o sono involuntário longo do dia, mesmo que a noite anteriormente dormida tenha sido saudável.

Aproximadamente 40% das pessoas desenvolvem a paralisia do sono. Entre os que são diagnosticados é comum que seus sintomas estejam presentes na fase de adolescência. A constatação científica é a de que as mulheres sofrem mais do problema do que os homens.

Em muitos casos, a paralisia do sono não é tratada por apresentar sinais imperceptíveis. Porém, esse caso não se torna uma regra. Contudo, o tratamento ocorre de diversas maneiras, através de:

•       Exercícios físicos;
•       Bons hábitos do sono;
•       Tratamento psicológico.

Alucinações hipnopômpicas e a narcolepsia

Entre os estágios do sono, passamos pelo de despertar. Antes desta condição, podem ocorrer alucinações. Indivíduos que tenham essa experiência geralmente “veem” fenômenos alucinatórios do sono assim que acordam.
Alguns relatam que objetos aos seus redores passaram a ter vida própria, tais como:

•       Cortina;
•       Guarda roupas;
•       Cobertas.

Indivíduos que são acometidos pelas alucinações hipnopômpicas também sofrem de paralisia do sono e alucinações hipnagógicas, que trataremos mais adiante. A descrição desses problemas (que podem ocorrer individualmente ou conjuntamente) como síndrome ocorreu no fim da década de 80 do século XIX, por Gelineau. Quem sofre das três síndromes é diagnosticado como paciente de Tétrade Narcoléptica ou Tétrade de Gelineau.

Todos esses problemas se enquadram na patologia de narcolepsia. Entre os que são diagnosticados com a narcolepsia, apenas 10% apresentam a Tétrade Narcoléptica, que é quando os três problemas estão presentes na vida do paciente.

Em torno de 80% dos pacientes com narcolepsia, o principal sintoma é a sonolência excessiva durante do dia e a cataplexia, que muitos especialistas apontam em seus estudos sobre a alucinação hipnopômpica, a paralisia do sono e as alucinações hipnagógicas.

Ao ser observado os continentes em que a doença mais é desenvolvida, constata-se que o asiático é o que mais registra casos de pessoas que tenham a paralisia do sono e alucinações hipnopômpicas e hipnagógicas.


Problemas relacionados com as alucinações hipnagógicas

Se as alucinações hipnopômpicas ocorrem depois do sono, as hipnagógicas possuem efeitos que vêm antes do descanso. É a saúde mental que determina o desenvolvimento da alucinação hipnagógica.

Há fatores externos que contribuem para o desenvolvimento da alucinação. Entre eles estão o consumo excessivo de álcool e de drogas. Além dos sintomas causados pelas substâncias, outros efeitos comuns são os déficits perceptivos que ficam desregulados.

Outro ponto que não pode deixar de ser mencionado é a ansiedade, pois até mesmo quem possui níveis elevados dessa característica estão sujeitos a passar pelo problema relacionado com a alucinação hipnagógica.

O que a ciência busca é proporcionar tratamentos sintomáticos. A narcolepsia, área patológica que envolve as alucinações hipnagógicas e hipnopômpicas, junto com a paralisia do sono, é um tipo de síndrome de base genética, ou seja, o indivíduo nasce com ela. Por isso, não há uma cura definitiva.

Através do tratamento é possível reduzir os níveis dos problemas. Há estudos que apontam como formas de minimizar o problema estimulante, tais como;
•       SNC;
•       Pemoline;
•       Ritalina;
•       Anfetaminas;
•       Nortriptilina.

Forma de adaptação para o surgimento da narcolepsia
Ao ser realizado o diagnóstico da narcolepsia, é importante que o paciente faça adaptações em relação ao seu cotidiano. Tal medida é necessária, visto que muitos passam a sentir sono durante o dia. Com isso, para que a produção diária não seja prejudicada é preciso que, pelo menos, um ou até dois cochilos possam ser realizados. Além disso, o tratamento medicamentoso é outra ferramenta que visa atender as necessidades do paciente, através de profissionais que entendam do caso.

A psicoterapia é outra ferramenta que não pode ser descartada. Contudo, tal opção se apresenta dentro da necessidade de cada paciente, de acordo com as exigências dos profissionais que cuidam do caso.
É preciso ter em mente que em qualquer sinal que possa prejudicar a qualidade do sono um médico deve ser consultado. Em hipótese alguma um paciente com suspeitas de narcolepsia deve se medicar sem uma prévia consulta com um profissional que entenda da síndrome.

Para aqueles que realizam os devidos acompanhamentos e tratamentos é possível levar uma vida saudável. Porém, é importante que o tratamento não seja interrompido nem mesmo quando os sinais da paralisia do sono e as alucinações hipnagógicas e hipnopômpicas cessarem, pois há a possibilidade de voltarem com mais força na vida do indivíduo.

Caso haja dúvidas de qual profissional da área médica deve ser consultado, a fim de que sejam realizados os exames e possíveis diagnósticos, hoje a medicina do sono é o setor que, embora novo, cuida de pacientes com distúrbios do sono, uma vez que envolve diversas especialidades médicas e paramédicas.

Aqueles que atuam como médicos do sono têm domínio de conhecimentos em fisiologia e transtornos do sono. Ao se deparar com tal profissional, as formas de tratamento resultam em uma higienização no sono para que a qualidade possa ser maior.

Postar um comentário

Blogger