Como controlar os meus pensamentos?

       

Sendo psicólogo vejo o quanto a mente humana pode fazer maravilhas, porém ao mesmo tempo ela consegue deixar uma pessoa na ruína.  A imensa maioria dos problemas descritos aqui nesse site, assim como as perguntas e comentários feitos pelos leitores se dão exatamente pelo fato das pessoas não conseguirem dominar minimamente a própria mente e os seus pensamentos.  Esse problema é tão comum que afeta também aos psicólogos, aliás, parei para refletir sobre isso quando li o comentário de algumas colegas na postagem “como desenvolver a empatia”. Dominar a própria mente era para ser algo natural, no entanto na nossa sociedade ocidental o normal é sermos escravos dos nossos pensamentos.

É possível controlar os meus próprios pensamentos?

        Sim você tem a capacidade de pensar o que quiser e se quiser, todas as coisas que surgem em sua mente foram postas lá por você mesmo, ainda que desconheça a razão pela qual fez isso.

Eu não concordo com você! Não sou eu que controlo os meus pensamentos! Certo... Então me responda: se não é você que controla os seus pensamentos... Quem os controla?
Se você tiver outra resposta para essa pergunta e acreditar que alguma pessoa, ser ou entidade seja a verdadeira responsável pelo que passa pela sua mente então você pode estar sofrendo do transtorno chamado esquizofrenia, nesse caso procure um médico.


Aprendendo a controlar os pensamentos

        Você não consegue dominar a sua mente simplesmente por que não aprendeu a fazer isso, aliás, não foi treinado. Por essa razão é que está à mercê de sentimentos nocivos o tempo todo como a raiva, ciúme, culpa, medo e todos os outros.

A multidão dentro da sua cabeça
        Já tentou conversar com alguém no meio de uma multidão? Se sua resposta for sim então você sabe o quanto isso é complicado. Quando se tem várias pessoas falando de uma só vez ficamos sem controle de quem devemos escutar ou prestar atenção. O mesmo ocorre quando vários pensamentos e preocupações surgem na sua cabeça de uma única vez.

        Alguns desses pensamentos te dizem que tudo vai dar certo e não há razão para se preocupar enquanto outros lembram de todas as coisas terríveis que podem acontecer. Uns pensamentos te exaltam e falam da sua qualidade, entretanto outros lhe humilham e te lembram do que você prefere esquecer.

        No meio desse tumulto de pensamentos e ideias a única coisa que pode prevalecer é a confusão, a ansiedade e a tristeza.

Ouvindo um pensamento por vez
        Não se pode calar uma multidão durante muito tempo, a solução mais simples é organizá-la fazendo com que cada um espere a sua vez de falar. É exatamente isso que você deve fazer com seus pensamentos: organiza-los! Depois disso se torna mais fácil distinguir quais pensamentos estão certos e merecem ser ouvidos e quais estão errados e devem ser ignorados.

Vivendo o agora
        No artigo livre-se do sentimento de culpa eu mencionei o fato de que a culpa e a tristeza são a nossa mente presa no passado enquanto as preocupações e a ansiedade são a nossa mente focada em um futuro ruim. Não se pode mudar o passado e nada podemos fazer pelo futuro enquanto ele não chegar, o único momento que temos o poder de interferir é o presente e é nele que a nossa mente deve passar a maior parte do tempo.

A mente treinada e a mente destreinada
        Atletas de ponta, cirurgiões renomados e até psicoterapeutas famosos... O que eles têm em comum? Uma mente disciplinada capaz de manter a concentração por longos períodos, de posse de instrumento poderoso eles são capazes escolher qual a melhor atitude a tomar em frações de segundos, ao contrário de você querido leitor que dotado de uma mente destreinada demora dias para decidir as coisas mais simples, na verdade para uma mente indisciplinada é difícil até mesmo receber os benefícios da análise e psicoterapia. 
  

Como treinar a sua mente?

        Do mesmo modo que podemos  treinar o nosso corpo para que ele se torne mais forte, mais rápido ou ainda mais flexível podemos treinar nossa mente para que ela se torne mais ordenada e disciplinada.
        A seguir irei passar algumas técnicas que se bem aplicadas farão com que praticamente qualquer pessoa seja capaz de dominar a própria mente.

Técnica 1: Exercícios de concentração
        Em minha opinião a melhor forma de se disciplinar a mente é através dos exercícios de concentração. Tais práticas costumam causar desconforto nos pacientes devido ao fato delas serem associa-las ao espiritualismo ou questões mediúnicas e parapsicológicas. No entanto não é por esses setores fazerem uso de tais exercícios que eles perdem sua eficácia ou vão além do que a ciência pode provar.

        Já escrevi alguns exercícios de concentração em outra postagem, mas você não é obrigado a ler tudo o que eu escrevo não é mesmo? Então  irei ensiná-los novamente.

O relógio
        Para realizar esse exercício é necessário um relógio de ponteiro (corda ou bateria) que esteja funcionando.

    O objetivo aqui, como o já mencionado, é aprender a calar os seus pensamentos fazendo com que eles surjam apenas quando você que queira.

        Permaneça sentado em uma posição confortável diante do relógio olhando fixamente para o ponteiro de segundo não fazendo mais nada além de observar o seu movimento do ponteiro. Não se permita pensar em absolutamente em nada, em sua mente deve prevalecer o mais completo silêncio. Até mesmo coisas como: “estou me sentido relaxado” ou “está se saindo bem” podem surgir, afinal isso também são pensamentos e como tal devem ser evitados nesse momento.

        Assim que perceber que teve um pensamento observe quantos segundos o ponteiro se moveu, provavelmente na primeira tentativa você não passará dos cinco segundos. Tente novamente se esforçado para aumentar esse tempo. Repita esse procedimento várias vezes por dia todos os dias até que consiga passar de um minuto sem que nenhum pensamento ocupe sua mente.

Vivendo o momento presente
      Durante o dia realizamos praticamente todas as nossas tarefas de maneira automática quase como se fossemos robôs, enquanto isso a nossa mente viaja sem controle nos levando hora para locais maravilhosos, hora para situações extremamente desconfortáveis. De agora em diante tente prestar a máxima atenção ao que você está fazendo seja lavando uma louça, seja dirigindo de volta para casa. Isso não apenas terá dará maior controle da sua mente, mas da sua vida...

 A moeda:
Para esse exercício será necessária uma moeda de qualquer valor.

        Observe um dos lados de uma moeda com o máximo de sua atenção até que consiga ter uma ótima imagem mental da moeda. Depois dessa etapa feche os olhos e tente recriar a imagem da moeda na sua mente. Provavelmente irá se decepcionar quando notar que se esqueceu de detalhes básicos, mas não se desanime isso é o reflexo do quanto a sua mente está destreinada.

Dica: No Curso Supere a Ansiedade a terapeuta Luci Porcino ensina outras técnicas de concentração e de meditação que irão te ajudar a dominar a sua mente e suas emoções de maneira natural e sem a necessidade de remédios.  

Técnica 2: O Método TCC
        A Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) comprovou que os nossos sentimentos surgem como uma reação aos nossos pensamentos, por exemplo:

Pensamento
Sentimento correlacionado
Lembrar bronca injusta do chefe
Raiva, tristeza

        Desse modo uma maneira prática de controlar os pensamentos indesejados é Monitorar a as emoções.

Como fazer: Assim que notar uma emoção muito forte, tente identificar qual o pensamento que lhe causou tal comoção, o pensamento imediato pode parecer sem sentido e ter surgido do nada, por essa razão é necessário cavar um pouco mais identificando o pensamento anterior a ele.

Desconstrua o pensamento ruim: Assim que você encontrar o pensamento que engatilhou a emoção ruim o que deve ser feito é desconstruí-lo. Mostrar a si mesmo (única pessoa que precisa ser convencida) do quanto ele está errado. Não vou me aprofundar nisso por já ter escrito acerca dessas técnicas nas postagens:

·         Como evitar erros cognitivos
·         Livre-se dos pensamentos ruins

Técnica 3: A elaboração
        Por vezes acontece conosco ou pensamos coisas que não gostamos ou não aceitamos. Tentar reprimir tais memórias ou pensamentos pode parecer o melhor a ser feito, entretanto ideias não podem ser represadas como fazemos com água. Aquilo que tentamos ocultar de nossa consciência tende a retornar a nossa mente seja no formato de ideias claras seja no formato de pensamentos confusos e obscuros.

        Como fazer: Procurar o sentido e o significado oculto por traz dos pensamentos incômodos. Em alguns casos o mero ato de saber o que realmente está lhe incomodando pode retirar de vez tais pensamentos da sua mente, todavia se você resolveu esconder (ainda que inconscientemente) algo de si mesmo é por que não conseguia lidar com isso, por essa razão tal prática deve ser acompanhada por um psicólogo.