Ads (728x90)

.

Acumuladores – Síndrome de Diógenes


O problema de pessoas que acumulam objetos inúteis e até mesmo lixo em suas casas a ponto de perderem espaço necessário para higiene própria, dormir ou se alimentar se tornou mais conhecido nos últimos anos por conta da televisão. Pessoalmente eu passei a ter contato com esse transtorno quando assumi um cargo público de psicólogo, a partir de então tive conhecimento de dezenas de casos de síndrome de Diógenes ou como são conhecidos popularmente: acumuladores.

O que é síndrome de Diógenes?

    Trata-se de uma alteração comportamental cuja principal característica é a compulsão por adquirir ou coletar objetos juntamente com a incapacidade de descartá-los mesmo quando são perigosos, nocivos ou insalubres. Os objetos acumulados não precisam ser necessariamente lixo ou algo que não tenha valor, em alguns casos trata-se de livros, revistas, ferramentas, utensílios domésticos, etc.
Costuma aparecer como distúrbio secundário (comorbidade) ou sintoma de outra patologia psiquiátrica ou conflito psicológico/emocional.

Quais os sintomas de Síndrome de Diógenes?

·        Descuido extremo com a higiene pessoal
·        Isolamento social
·        Desconfiança e agressividade para com terceiros
·        Comportamento paranoico ou mania de perseguição
·        Falta de motivação
·        Falta de crítica ou bom senso
·   Descuido com o próprio lar a ponto deste se tornar inabitável e insalubre
·      Colecionismo ou acumulação extrema de objetos que não podem ou não são utilizados.
·        A ideia e tentativa de descartar ou jogar fora algum dos objetos acumulados causam grande angustia e ansiedade ao indivíduo


Por que Síndrome de Diógenes? Diógenes Sínope, filósofo grego que optou viver na miséria, habitando dentro de um barril e tendo como posse apenas uma lanterna para iluminar a noite. Para os padrões atuais Diógenes viveria como um mendigo, a síndrome recebeu o seu nome por fazer com quem a possua desenvolva um aspecto mendicante ainda que na maioria dos casos tais pessoas possuam uma casa e renda própria.

Quais as causas da Síndrome de Diógenes

 (por que as pessoas acumulam coisas?)
Ainda não existe consenso entre os profissionais (médicos e psicólogos) se a acumulação compulsiva própria dessa síndrome é um transtorno isolado ou se faz parte de outro transtorno como, por exemplo, o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Contudo tomando por a base a literatura e a minha própria experiência, consigo afirmar que pacientes com síndrome de Diógenes apresentam quase sempre outro transtorno psiquiátrico/psicológico ou alguma condição médica que afete o funcionamento mental.
·        Esquizofrenia
·        Depressão
·        Alzheimer ou outra forma de demência (raro)
·        Asperger e outros Transtornos do espectro autista
·        Transtornos de personalidade
·        T.O.C
·        Alcoolismo ou/e drogadição
·  Rebaixamento ou retardo intelectual (esse é mais raro, porém ocorre)

Conflitos psicológicos ou emocionais: É possível concluir que tanto a síndrome de Diógenes quanto outros dos transtornos apresentados (depressão e alcoolismo, por exemplo) podem ser sintomas de um terceiro fator:
·        Desilusão amorosa e/ou divórcio
·        Morte de um ente querido
·        Aposentadoria ou demissão
·        Abandono ou negligência por parte da família

Em suma qualquer evento que faça com que o sujeito se sinta extremamente frustrado, perdido algo importante e/ou rejeitado pelo mundo pode funcionar como gatilho ou catalisador da síndrome de Diógenes. Cabe lembrar que quando lidamos com pessoas, tanto na parte biológica quanto a psicológica, existe mais hipóteses que certezas.

Nesse sentindo o isolamento e a agressividade seria uma forma do paciente se vingar e se proteger de um mundo que ele percebe como cruel e perigoso.
O comportamento de acumular serve como um modo de preencher o vazio interior ocasionado pela recente perda.

Pode ser aprendida?  O meio influenciaria o surgimento dessa patologia? Essa seria uma pesquisa interessante, pois existem relatos de irmãos, casais, pais e filhos que apresentam sintomas da Síndrome aqui descrita. Atualmente acompanho o caso de um pai e um filho que sofrem desse problema, entretanto, enquanto o pai acumula coisas de forma organizada separando tudo por temas (jornais com jornais, tampinhas com tampinhas, etc.) o filho apresenta uma forma de acumulação desordenada trazendo para dentro de casa sacos de lixo comuns vindos da vizinhança. No entanto eu não tenho essa resposta.

Reportagem sobre acumuladores na TV Record

Quem é mais propenso a desenvolver?

Estatisticamente o grupo mais afetado são pessoas acima dos sessenta anos, que moram sozinhas, independentes e que foram os chefes de suas casas. Entretanto pode aparecer em pacientes bem mais jovens e dependentes de terceiros. A Síndrome de Diógenes  acomete igualmente homens e mulheres e não há distinção de classe social.

Qual é o tratamento para a Síndrome de Diógenes?

Essa é realmente a parte mais complicada desse assunto. Pessoas com essa síndrome são muito arredias e agressivas desse modo o tratamento delas é em geral imposto por intervenção judicial. Até mesmo a limpeza da casa é feita por caminhões da prefeitura com proteção policial. Não antes que essa pessoa converse com um psicólogo que demonstre a necessidade da limpeza do local (isso é parte do meu trabalho).

Tratamento com base na comorbidade: como disse anteriormente na maioria dos casos o paciente apresenta outro transtorno, por vezes o foco do tratamento fica na outra patologia, por exemplo, se o paciente sofre de esquizofrenia ele é tratado com medicação para essa doença, o mesmo para depressão, TOC e etc.

Reaproximação da família: A melhora do paciente é visivelmente maior quando existe a presença de familiares que se importam com ele. Esse é outro ponto em que a determinação judicial influi muito, pois em muitos casos somente isso consegue reaproximar a família.

Psicoterapia: ajudar o paciente a aprender uma nova forma de expressar a sua insatisfação e agressividade bem como outros modos de lidar com seus medos e ansiedade ajuda muito o paciente com esse transtorno.

A quem pedir ajuda?

Se você é está procurando ajuda para alguém com esse problema vou ser direto:
Dificilmente um único profissional (psicólogo, psiquiatra, etc.) apresenta resultados satisfatórios trabalhando sozinho. Em geral solução vem em equipes com Assistentes sociais, advogados, psicólogos, psiquiatras, enfermeiros entre outros. Por essa razão o meio mais fácil de lidar com esse problema é pedindo intervenção judicial, procurando a Secretaria de Assistência Social da sua cidade, ou buscando apoio na saúde pública (ela é ruim, mas as vezes é a única que resolve). 

Postar um comentário

Blogger