Ads (728x90)

.

 
Como vencer o medo da rejeição?

Medo de fora um fora, medo de que as pessoas não gostem de você, acreditar que os outros vão rir de você ou te humilhar. Tudo isso é medo da rejeição. O medo de ser rejeitado é um dos principais motivos para a timidez e a dificuldade de se fazer amigos. Neste artigo gostaria de fazê-lo entender que não há razões para esse temor.

Não leve as coisas para o extremo
       
        Pessoas com fortes sentimentos de rejeição costumam a perceber o mundo de uma forma polarizada. Eles acreditam que se não receberem atenção imediata e incondicional de alguém é por que esse alguém não gosta deles.
        Entenda que nem sempre os outros estarão disponíveis para você. Isso é natural, mesmo seu melhor amigo ou namorado (a) tem outras obrigações e necessidades. Isso não quer dizer que ele (a) não esteja interessado ou já não goste de você.
Daqui para frente quando se sentir rejeitado (a) pare e reflita se você não está exagerando.

Veja também:

Discordar não é rejeitar
        As pessoas podem não gostar de certos comportamentos ou características que você possua e ainda assim gostarem de você.

Entenda o outro
Nossa mente por vezes projeta os nossos sentimentos e emoções nos outras pessoas. Por exemplo, alguns indivíduos acreditam que o fato deles estarem sentindo ciúme é indicador de que seu cônjuge está sendo infiel. Isso parecer absurdo, mas você pode estar fazendo a mesma coisa. Não é por que você está se sentindo rejeitada (o) que a outra pessoa está te rejeitando.

Descubra o seu valor
        Só você sabe quem você é e do que é capaz. Por esse motivo somente você pode determinar o seu valor. Não espere que as outras pessoas lhe mostrem o quanto você é importante, eles não tem competência para isso.
        Isso não quer dizer que você não possua defeitos ou que não tenha que melhorar em algum aspecto. Quando se muda algo indesejado em si mesmo passa-se a se amar um pouco mais, então vale a pena tentar.

Resolva esse problema de vez
        Provavelmente o esse medo e preocupação com a rejeição está relacionado a alguma trauma do passado, crenças psicológicas ou algo do tipo.  É nessa hora que você deve avaliar a possibilidade de procurar um psicólogo ou dar início a uma análise.

Não leve para o lado pessoal
        Algumas vezes somos realmente rejeitados, isso acontece com todo mundo, alias você mesmo já rejeitou outras pessoas. Na verdade toda a vez que fazemos uma escolha, nós optamos por uma coisa e deixamos a outra. Infelizmente o mudo é assim, não podemos ficar com tudo. O que você não deve fazer é levar isso para o lado pessoal, e nem ficar culpando alguma característica sua pelo ocorrido:
“Ele não quis ficar comigo por que sou gordinha”
“Fui demitido por que sou baixinho”
Pensar coisas assim não vai solucionar o problema e ainda irão aumentar os seus sentimentos de inferioridade.

    Tire a rejeição do foco da sua mente
Já ouviu falar em atenção seletiva? Funciona assim: o cérebro mantém a atenção naquilo que você diz para ele que é importante e ignora as demais informações. Se você foca os seus pensamentos em “rejeição”, sua mente vai ficar alerta ao menor sinal de rejeição, é por isso que você acredita que está sempre sendo rejeitado (a).

Postar um comentário

Blogger
  1. Bom dia cesar,

    gostaria de saber de como lidar com pessoas dissimuladas. Estou estudando com uma jovem dissimulada. Ela mente, se coloca como uma pessoa legal, todos acham que ela é um ser maravilhoso. Ela criou uma antipatia comigo, me tratando mal, me colocando contra as pessoas. Tentei pedir ajudar ao coordenador, falei da situação, pedi sigilo, mas ele de forma infantil contou pra ela. A raiva dela só fez aumentar e me encontro em uma situação muito difícil. Hoje as pessoas passaram a se afastar de mim. Estou me sentindo muito mal com tudo isso. Como devo me comportar e e reagir diante dessa situação?

    desde já agradeço

    elieldo mascera santos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As pessoas que convivemos em geral, é ótimo quando elas nos amam, se simpatizam conosco.Porém nesta sua situação, digo-lhe: Dê tempo ao tempo, pois, a verdade virá a tona, mentira fica encubada por pouco tempo.Aja normalmente, educação, ética e um bom caráter é o que levamos para vida toda.Ignore-a, e mais ignore a rejeição sentida também! Saiba quem você é.E seja livre de ficar preso a percepção que ela tem sobre você ou que os outro tenham. Vá viver e evite passar qualquer tipo de conversa fiada, coisa que não lhe renderá nada.
      Abraços!

      Excluir
  2. Olá. Recentemente percebi em mim esse medo exacerbado da rejeição em relação ao meu marido e alguns amigos. Todos os fins de semana o meu marido acha algo pra fazer e some de casa. Um dia é algum problema com a mãe dele, outro é trabalho de faculdade. Alguns amigos a mesma coisa. Então, acredito que o problema está em mim. Dessa feita, resolvi tomar algumas atitudes como parar de brigar pela atenção do marido e ir fazer outras coisas e desses amigos, me afastar. Hoje mesmo ele já sumiu de casa e mais tarde aparece com cara de que nao aconteceu nada. Da ultima vez que eu briguei com ele por isso, disse que ele deveria se preocupar no dia em que eu nao me importasse mais. E de fato, depois que percebi que venho agindo mesmo por medo de ser rejeitada por ele, minha disposição pra brigar acabou. Era como se eu tivesse tirado dele uma arma com a qual ele me feria. O grande problema é que tou começando a gostar dessas ausencias dele. Tou gostando muito do tempo que tenho livre pra fazer qualquer coisa, inclusive nada.. eu amo meu marido, mas tou começando a gostar de viver sem ele. E quando quero sair sem ele, aí ele dá chilique, faz pose de incompreendido, reclama...Não quero mais brigar por isso (diálogo com ele sempre descamba pro drama. Ele entende ações práticas). Então agora eu mantenho a calma. Vai sair? Deus te acompanhe. Chegou? Oi, tudo bem. Percebo que ele agora pelo menos se preocupa em dizer onde vai e o que vai fazer e avisa se vai ou nao almoçar em casa. E vejo que a minha trabquilidade o deixa constrangido. Sei que isso ainda vai destruir meu casamento (mas, se destruir, a culpa nao é só minha), mas se realmente eu continuar gostando dessa vida sem ele, é o que vai acontecer. Poderia me dar algum conselho de como agir de forma inteligente nesse caso? Não queroro acabsr com tudo, mas tambem nao vou segurar a onda sozinha. E muito menos permitir que ele continue usando o meu proprio medo co tra mim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parabéns pela sua forma de agir, reverteu a situação ao seu favor, sei que essa não era sua intensão, mas ainda assim isso te transformou por dentro.
      Existe momentos para se estar sozinho e momentos para ser estar junto, talvez o seu problema é querer ficar o tempo todo sozinha, e nesse caso estar casada não é a melhor opção.
      O ideal é que ambos saibam os planos do outro e planejem o que querem fazer juntos e o que desejam fazer sozinhos ou em companhia de outras pessoas ou sozinhos.
      Impor a sua vontade é fundamental para que sua relação dure, caso o contrário é você quem irá desistir, se o seu marido sempre obteve de você o que ele queria através das mesmas atitudes é natural que insista em fazer a mesma coisa e ser mais insistente (e até irritante) com isso, mas assim como você aprendeu ele irá aprender que ele precisa mudar.

      Excluir