“

Uma pessoa que se tornou consciente de si mesma, por meio de perguntas que lhe foram feitas, está em melhor posição de prever e controlar seu próprio comportament
o
. (B. F. Skinner)
     A frase cunhada pelo psicólogo americano demonstra a importância do autoconhecimento, é claro que ainda há outros benefícios em se conhecer melhor, como por exemplo, uma boa autoestima, menos conflitos internos, entre outros. Porém existe um problema: o que é necessário fazer para chegar ao autoconhecimento? É sobre isso que gostaria de falar:

Conheça o outro
    Parece um disparate falar sobre autoconhecimento e começar com “conheça o outro”, mas na verdade todos os nossos conhecimentos são formulados a partir do mundo exterior. Por exemplo, eu sei que sou teimoso e que sou prestativo, mas se não houvesse com quem teimar ou a quem ajudar essas características não fariam sentindo. Do mesmo modo eu entendo que um é um defeito e outro é uma qualidade por que identifiquei isso em outras pessoas e pude tirar a minha conclusão a respeito delas. 
    Você nunca vai conseguir se enxergar do mesmo modo que é visto aos olhos de outrem, somos apenas capazes de nos ver do jeito que vemos aos outros. Por isso quanto mais conhecemos o outros mais compreendemos a nós mesmos. 

Conhecendo ao outro: A maior dificuldade em conhecer as pessoas é que quase sempre nos deixamos levar pelas aparências e pelos nossos preconceitos. Quando não gostamos de alguém, imediatamente tudo o que ele (a) faz é ruim, errado e mal intencionado, e guando gostamos desse alguém as conceitos são o oposto.  Nossas opiniões sobre o que bom ou mal são superficiais e nos impedem de entender os fenômenos ao nosso redor. Quando se rotula algo (ou alguém) como bom ou mal, deixa-se de analisar uma gama de detalhes que fazem muita diferença.  Para se conhecer verdadeiramente as outras pessoas é necessário suspender os nossos preconceitos e observar atentamente de forma imparcial. Não estou dizendo que você deva deixar suas emoções de lado, o primeiro motivo é que isso é praticamente impossível, e depois por que os seus sentimentos são parte importante no processo de conhecimento, aquilo que te desperta emoções diz algo a seu respeito.
   

Auto-observação
    É nesse ponto que geralmente começam os manuais de autoajuda e livros sobre misticismo quando tratam de autoconhecimento.  De modo geral eles propõem exercícios de introspecção ou alguma forma de meditação. Não vou negar que ambos são muito benéficos e ajudam a conhecer a si mesmo, mas são insuficientes. É muito fácil ser bonzinho e fazer tudo certinho quando não tem nada e nem ninguém te incomodando, mas esse não é o mundo real. Para se conhecer de verdade é preciso se observar diante das relações e situações do cotidiano.  
   

Como você age diante das dificuldades? Como se comporta com seus familiares e pessoas do seu trabalho? É respondendo perguntas assim que irá se conhecer de verdade.
   É nesse sentido que a psicoterapia se mostra eficiente como método de autoconhecimento. Ela te força a se observar e analisar a forma que lida e percebe o mundo. Ao mesmo tempo, existe um Outro ( o psicólogo) que lhe dá a sua visão sobre quem você é.

     Como se auto-observar: Passamos a maior parte do tempo agindo de forma inconsciente, como se estivéssemos no piloto automático e nunca nos damos conta do porque fazemos o que fazemos.  A partir de agora comece a prestar mais atenção ns coisas que faz durante o dia, principalmente no modo que se relaciona com os outros e com as tarefas que deve realizar. Observe também o modo que sente a cada momento, pois se ao agir de determinada forma fizer com que você não se sinta bem é sinal de essa ação não condiz com o seu ego.
     Não fuja: A maioria das pessoas é covarde. Sim, elas fogem ao primeiro sinal de perigo. Quando elas olham para si mesmas e percebem que são egoístas, vingativas, cruéis ou possuem qualquer outro defeito, elas simplesmente tentam esconder isso delas mesmas ou inventam desculpas para sustentar as suas más ações. Com toda a certeza existem aspectos do seu ego que você não vai aceitar, porém é necessário conhece-los. “No artigo Mudara personalidade é possível?” eu falo um pouco sobre autotransformação.

Um processo que nunca acaba

    Eu acredito que somos seres em formação, estamos sempre mudando. Essa transformação se torna mais intensa à medida que você se conhece melhor, desse modo toda vez que você se observa, impulsiona a sua mudança e por isso vai precisar se conhecer novamente e assim sucessivamente...