Aprendendo a perdoar

Inúmeros são os benefícios do perdão, não apenas para aquele que é perdoado, mas principalmente para quem perdoa. É por esse motivo, que tanto os psicólogos quantos os líderes religiosos orientam aos que lhes procuram que liberem perdão. Entretanto se o discurso é fácil de entender, não é tão fácil perdoar aqueles que nos magoaram. Neste artigo gostaria de falar sobre o processo de perdoar. 

Perdão não é anistia
Muitas pessoas acreditam que ao perdoarem o outro, essa pessoa jamais irá pagar pelas injustiças que ele(a) cometeu. Entenda que quando você perdoa não está retirando a culpa de ninguém, está apenas transferindo a responsabilidade de fazer justiça para outras pessoas ou outras estâncias. 


Remorso só é castigo para você
Quem tem dificuldade de perdoar comumente acredita que a sua mágoa é uma forma de punir aquele lhe prejudicou. No entanto você precisa compreender que sua hostilidade não atinge em nada a outra pessoa. Sim! Apesar de todo o seu rancor, o outro continua levando a vida dele sem se preocupar com a sua opinião. Seu ódio só prejudica você mesmo, ele te faz adoecer e te mantém refém do passado, lhe impedindo de viver um futuro melhor.


 Leia também:
·       Vença a Depressão
·       Melhore sua Autoestima

Ressignifique sua experiência
Às vezes não compreendemos realmente o que aconteceu, não sabemos bem ao certo o motivo pelo qual fizeram conosco o que fizeram. É natural que uma parte de nós se sinta culpada pelo que ocorreu. Nessa situação perdoar parece assumir sozinho(a) a culpa do ocorrido. Por esse motivo faz se necessário que você reconstrua esse passado, não para reviver o sofrimento, mas para dar a ele uma nova dimensão.

O rancor é como uma comida amarga que se come, mas que fica travada na garganta, pois somos incapazes de engoli-la. Para sermos capazes de “digerir” esse prato é necessário primeiro tirar o seu amargor. E somente a ressignificação irá fazer isso. Na postagem Lidando com traumas eu falo um pouco sobre resiliência, que a capacidade de se tornar melhor com as experiências ruins talvez ela te ajude.

De modo geral a psicoterapia e a análise são as formas mais eficientes para ressignificar conflitos e traumas do passado.


Talvez você não tenha razão
Temos a tendência de acreditarmos que somos sempre bons e justos, mesmo o pior dos criminosos inventa todo o tipo de desculpa para justificar os seus maus feitos. Quando falamos de conflitos e brigas a nossa capacidade de sermos razoáveis vai embora totalmente, assim, desconfie das suas certezas e motivos, pois de modo geral elas escondem as fraquezas que possuímos a maior dificuldade de aceitar. Para refletir sobre quem você realmente é lei o artigo Autoconhecimento.

Acusações e autojustificativa são as ferramentas que usamos para provar o nosso ponto de vista, entretanto reconsidere tudo isso de maneira crítica e analise se é você realmente a vítima da situação.


Veja além das emoções
As emoções nos acompanham a todo o momento e por vezes elas nos impedem de ver a realidade como ela é. O ódio a magoa e o rancor turvam a nossa visão dando as coisas uma perspectiva errônea. Quando se consegue suspender os sentimentos e os julgamentos, focalizando unicamente os fatos, é possível ver uma situação não tão ruim quanto imaginávamos. Desse ângulo podemos ver que os nossos ofensores não são apenas vilões, mas vítimas da situação tanto quanto nós mesmos.


Isso não tão simples assim
Consigo imaginar você leitor me respondendo desse modo: “isso não tão fácil”, mas em nenhum momento eu disse que seria. Na verdade, perdoar é algo que requer tempo e trabalho, contudo o bem que isso lhe fará compensa todo o labor.