A arte de conversar com qualquer pessoa

  

Mais uma vez o Psicologo.com produz um artigo em resposta ao pedido dos seus leitores. Uma das maiores dificuldades dos tímidos (mas não apenas deles) é saber como conduzir um diálogo de forma que ele se torne agradável e dessa maneira ganhar a simpatia do seu interlocutor.  Conversar é uma arte que  alguns têm maior facilidade em desenvolver, enquanto outros precisam treinar para dominá-la. Como toda arte, o dialogo possui suas regras, se você quiser conquistar as pessoas é preciso conhecer tais regras:

  1. Seja sempre educado
     Essa é uma regra básica que é muitas vezes ignorada. Deve-se tratar o outro, seja ele o seu patrão ou um morador de rua, com respeito e educação. Evite ao máximo menosprezar a pessoa com quem você conversa (e seus feitos) ou ainda se vangloriar em cima dela.

Opa! Talvez eu esteja indo rápido de mais... Então vamos consertar isso: você é uma pessoa extremamente tímida? Se for leia o artigo Como vencer a timidez. Se não for, mas tem dificuldades em iniciar um diálogo leia: começar uma conversa. Você é tímido e está querendo aprender a arte da paquera e sedução leia: Dicas de paquera para tímidos.

  1. Tenha bom humor
    Outra coisa básica. Para que uma conversa seja agradável ela precisa ter uma dose de humor, é claro que isso não é tudo, caso contrário eu poderia parar por aqui. Porém essa é uma parte importante nessa arte.

RenoirComo ser engraçado ou divertido? Isso não é uma coisa fácil, basta olhar o tanto de comediantes sem graça que existem no mundo. O ideal é que você fale sobre aquilo que lhe pareça engraçado, porém o seu público é que o termômetro real. Se falar algo e perceber que ninguém rir (ou der apenas um sorriso amarelo) é melhor mudar de técnica. Com o tempo você percebe o que faz os outros rirem. O importante é que sua “graça” seja pertinente ao assunto que se está falando. Caso você pare um dialogo no meio, para falar algo fora do contexto, ainda que riam, vai parecer meio bobo. Uma tática que dá certo é falar de coisas engraçadas que aconteceram com você. Mais uma vez, evite fazer troça ou rir das outras pessoas, isso te torna um chato.

Não dá para fazer graça o tempo todo!

Algumas vezes o assunto é sério e não cabe contar piadas ou fazer gracinhas. Então o humor deve ser deixado de lado? Não! Ter bom humor não significa ser engraçado todo o tempo, mas ter uma visão positiva da vida. Assim se alguém estiver lhe falando de algo triste ou muito sério, passe para ela uma visão mais otimista (não irreal) da situação. Isso faz de você alguém agradável e com quem vale à pena conversar. Aprenda a ser mais otimista e vai ser sempre uma pessoa mais interessante

  1. Se adapte ao vocabulário do outro
    Não dá para conversar com uma criança do mesmo jeito que se fala com um adulto, quero dizer que você deve adaptar seu jeito de falar e o assunto à pessoa com quem está conversando. Se ela usa um tom formal vai se identificar mais com você caso fale do mesmo jeito. Faça o mesmo se a pessoa usar gírias e um vocabulário informal. Porém não force a barra, use apenas palavras que você tem certeza do significado. Quando se trata de se adaptar, nada mais difícil do que conversar com alguém do sexo oposto, se esse é o seu problema leia Como falar com uma mulher ou Como falar com um homem.


  1. Faça o outro falar sobre ele (a)
    Sabe qual o assunto sobre o qual as pessoas mais gostam de falar? Elas mesmas! Sim! As pessoas adoram falar sobre a sua própria vida, obra e opiniões. Por isso não existe necessidade de ficar tentando impressionar o outro com a sua “inteligência elevada” e “sacadas geniais”. Ao invés disso incentive seu interlocutor a falar mais sobre ele mesmo.
Como eu faço isso? Use perguntas abertas e frases que demonstre interesse:
ü  E então?
ü  Como assim?
ü  E o que você fez?
ü  Nossa!
    As palavras precisam seguir sua expressão corporal. Haja como se estivesse assistindo a um capitulo da sua novela ou série favorita. Não vai adiantar falar: “Que interessante!” se você estiver com cara de sono...

    Repetir a ultima coisa que a pessoa disse em tom de pergunta. Isso dá certo?  Essa técnica virou piada no filme “O virgem de 40 anos”. Entretanto ela funciona sim! Desde que seja usada com moderação:
    Patrícia – Não gosto muito desse lugar. A Disco é muito melhor!
    Jéferson – Lá é melhor?
    Patrícia – Claro! A decoração é linda...

  1. Ouça o que o outro tem a dizer
    É importante que você realmente ouça o que outro está falando, e não simplesmente fingir que está ouvindo. O primeiro motivo para fazer isso é que o outro vai perceber que não está sendo ouvido, e consequentemente se afastará.  O segundo motivo é que quando se ouve verdadeiramente uma pessoa, passa-se a conhecê-la mais profundamente. Você aprende o que ela deseja, do que não gosta, o que precisa. Assim é possível saber exatamente o que oferecer e como agir com esse sujeito.
    Ouvir é diferente de escutar, ouvir é buscar entender o que outro está dizendo, é desenvolver a empatia, compreender os sentimentos dele (a).

  1. Como falar coisas interessantes?
    É muito importante que você se mantenha informado sobre o que está acontecendo no mundo a sua volta para se ter sobre o que falar. Por isso torne-se mais perceptivo, não se feche apenas em seu mundo e nos seus interesses. Leia livros, revistas, sites de atualidades, assista a programas de TV, aprenda piadas e histórias engraçadas para contar. Resumindo organize um arsenal de assuntos interessantes.

   Atenção! Já disse anteriormente, mais vou repetir: o assunto que mais cativa alguém é ela mesma. Assim ter um bom conteúdo cultural serve para que você seja capaz de conversar com diferentes tipos de pessoas, porém tenha o bom senso de falar sobre o que outro se interessa. Como você sabe sobre o que seu interlocutor gosta de falar? Resposta: ouvindo o que ele está falando!

  1. Coisas que você deve evitar 
Ø  Falar muito sobre si mesmo
Ø  Não dar espaço para seu interlocutor falar
Ø  Ser preconceituoso ou criticar um determinado grupo
Ø  Ficar se vangloriando ou menosprezando outras pessoas
Ø  Falar mal de alguém (a não ser que o outro comece)
Ø  Não ouvir o que o outro está falando


Cesar Augusto S. Borella. Tecnologia do Blogger.

Quem sou eu

Copyright © Psicologo.com

É PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DOS ARTIGOS DO PSICOLOGO.COM SEM A AUTORIZAÇÃO EXPRESSA DO AUTOR