Resolvendo conflitos no casamento


Por que os conflitos aparecem no casamento?

  
Algumas pessoas costumam atribuir as brigas de casal a fatores exclusivamente externos, em alguns casos são questões místicas ou espirituais é que levam a culpa. Entretanto atritos surgem em qualquer lugar que haja interação social: família, trabalho, escola, faculdade, vizinhança, trânsito, etc. Pessoas se desentendem por que possuem personalidades diferentes, valores diferentes, por que compreendem o mundo de forma distinta.  E no casamento isso não é diferente.
    De modo geral os conflitos surgem quando algo novo acontece, um problema que antes não existia passa a existir, algum desejo ou aspiração aparece em um ou nos dois membros do casal. Como cada pessoa é única, cada dos pares têm visões diferentes de como lidar com o novo momento. Isso era para ser algo bom, afinal expondo os dois pontos de vistas o resultado deveria ser uma compreensão melhor da nova situação, entretanto em muitos casos essa passa a ser a raiz das brigas.
       O que ocorre com muitos casais é que ao invés de procurarem a melhorar solução para a questão, o marido e/ou esposa tentam impor ao outro seu ponto de vista sem escutar verdadeiramente o par tem a dizer.
     Os conflitos também podem surgir quando um dos integrantes do casal entende que está sendo prejudicado por certo comportamento do outro (ciúme, por exemplo). 

Saiba mais:
 
Resolvendo conflitos dentro do casamento

Etapa 1: Reflita sobre o problema.
     A maioria dos especialistas em relações conjugais aconselha que o casal reflita junto sobre o problema, mas é impossível que você consiga dialogar com alguém sobre qualquer assunto antes de ter pensado sobre esse assunto, se pular essa etapa sua compreensão sobre o problema será superficial. Quanto mais refletir sobre a questão, mais surgiram ideias e melhor você irá compreender o ponto de vista do cônjuge.

Dicas para essa etapa:
  • Nesse primeiro passo é necessário que você seja sincero com você mesmo e não fique inventando desculpas para os seus motivos.

   Etapa 2: Expondo o seu ponto de vista
     Nessa fase o casal deve exprimir a sua opinião sobre o problema ou causa do conflito e como isso pode ser resolvido. Ambos devem ter a oportunidade de falar o que pensam sem ser interrompido. É necessário que o diálogo atenha-se ao problema atual e não a coisas do passado.

Dicas para essa etapa:
  • Marquem um horário e local para conversar
  • Evitem esse momento se estiverem nervosos ou preocupados com outro assunto.
  • Não levantem a voz, fale com calma e paciência.
  • Escute o que o outro tem a dizer e não fique falando junto.
  • Sejam leais. Não ataque a fraqueza do outro, não faça chantagem e evite falar de erros do passado, isso não vai levar a nada.
  • Não ofenda e não ameace, isso são apenas meios de coagir e não forma de resolver problemas. Tal comportamento só irá aumentar os conflitos.
  • Não recrimine o outro por seu ponto de vista.
Etapa 3: Examinado as diferenças e semelhanças.
     Após se ouvirem, casal vai deparar com um mapa mais claro da situação, provavelmente surgiram dúvidas e preocupações em comum. Se atentem aos sentimentos, desejos, expectativas, temores, medos e valores (morais e financeiros) relacionados ao caso.  O objetivo dessa etapa é encontrar um consenso entre as vontades e preocupações dos dois.  Foquem no que vocês concordam, nos pensamentos e sentimentos que vocês compartilham. Em alguns casos é fácil encontrar pontos em comum, já em outros é necessário procurar um pouco mais a fundo.
 
  Dicas para essa etapa:
  • Sejam sinceros no que expõem: emoções e pensamentos.
  • Procure entender o ponto de vista do outro. Use sua empatia (capacidade de compreender e se por no lugar de outra pessoa)
Etapa 4: Encontrando a melhor solução
    É possível que assim que expuserem seus pontos de vistas, vocês já encontrem uma solução que satisfaça a ambos, porém se isso não aconteceu criem uma lista com todas as soluções possíveis. Pensem todos os prós e contras de cada uma delas. Não se esqueçam de que as soluções devem contemplar a resolução do (s) problema (s), bem como as aspirações e necessidades de ambos.

Dicas para essa etapa:
  • Procurem por soluções reais e mensuráveis.
  • Pensem em soluções alternativas, para caso a primeira falhar ou não for aplicável.
  • Pense nas exceções, pode haver situações ocasionais em que essa solução não será eficaz. Então reflita sobre o que fazer nesses casos.
  • Faça um plano de ação. Não vai adiantar planeja e não agir, por isso decidam quando começar, como e qual será o primeiro passo.
  • Avaliem o resultado. Depois de aplicar o que foi decidido talvez seja necessário avaliar se o que foi resolvido está trazendo um bom resultado ou não. Por isso talvez seja necessário estabelecer uma data para discutir novamente o problema.
Existe solução perfeita?
     Existem situações em que ambos saíram completamente satisfeitos com a decisão. Em outras circunstâncias isso pode não acontecer. Talvez por que o processo não foi seguido fielmente, e uma das partes não manifestou tudo o que pensava (por timidez ou medo da repressão) ou não teve seus anseios respeitados. Entretanto existem situações em que o tipo de conflito não dá margens para uma solução completamente satisfatória:


Tipos de conflito
Conflito repulsão-repulsão: é tipo de conflito em que todas as soluções são desagradáveis, dessa forma decide-se por aquela que for menos negativa.

Conflito atração-repulsão: é o mais fácil de resolver, existem soluções que são repulsivas e outras que são atraentes.

Conflito atração-atração: todas as alternativas parecem boas, dessa foram deve-se optar por aquela que traga mais benefícios e que parecer mais segura.

Conflito dupla atração-repulsão: todas as hipóteses parecem ser boas, mas podem trazer resultados negativos. Esse é tipo de conflito mais difícil de resolver.