Como controlar o ciúme?

 Limite-se aos fatos
         

O ciúme faz com que vejamos as coisas através de uma lente de aumento. Um ciumento costuma exagerar ou interpretar de forma negativa as atitudes da pessoa amada. Dessa forma, uma ação educada é confundida com “dar liberdade”, e o simples ato de falar “bom dia!” vira um flerte na imaginação do cioso.
             Sendo assim antes de entrar em uma crise, analise bem a situação e veja se não é tudo fruto da sua imaginação. Se possível peça a opinião de uma pessoa da sua confiança, pergunte se o que aconteceu é motivo de desconfiança. 

Aumente a sua autoconfiança
   
        Alguém que não acredita em si próprio pode acreditar que as outras pessoas também não acreditam.  Logo ciumento acredita que o (a) companheiro (a) pode lhe trocar por alguém “melhor”. O ideal é entender a causa da insegurança e tentar superar isso.
         Sei que você não confia em si mesmo (a), mas o que te faz não confiar na outra pessoa? Por que ela o trairia quando já te disse que nunca faria isso?
          Pense um pouco... seu companheiro (a) já te deu um motivo real para desconfiar? Se a resposta é não, então repense suas atitudes. 
     Se a resposta é sim, leia o artigo O que fazer após uma traição. Porém entenda que se decidiu que vocês devem continuar juntos, a melhor coisa a fazer é dar um voto de confiança ao seu amor, afinal é isso que significa amar: confiar e respeitar.
    
Qual é o seu medo?
     Outro sentimento profundamente ligado ao ciúme é o medo. No fundo o ciúme é provocado por ele:

·         Medo de ser abandonada (o)
·         Medo de não ser mais amada (o)
·         Medo de virar motivo de gozação

     Talvez o seu medo não seja nenhum desses, porém é sempre certo que o ciúme nos empurra para o destino que tememos. Isso mesmo! Como se pode amar quem nos aprisiona com desconfianças? E por que ficar do lado de alguém que te tira à liberdade?  Descubra qual é o seu medo e tente trabalha-lo 

Não seja possessiva (o)
           

O conceito de propriedade é algo profundamente enraizado na nossa cultura capitalista, e esse mesmo conceito está presente nas relações amoras. Então pensamos mais ou menos desse jeito “eu tenho uma casa, tenho um carro e tenho um (a) esposo (a)”. O erro começa ao se pensar assim. Gente não se possui, gente se conquista! E se conquista todos os dias. Todos os dias, nós devemos estar dispostos a conquistar o outro, para que ele (a) queira continuar conosco. Lembre-se disso seja você homem ou mulher.

Compreenda o motivo do seu ciúme
    Quando e como suas crises de ciúmes aparecem? Que tipos de pensamentos surgem quando você está enciumada? Existe algo específica que engatilha a crise? Certo tipo de mulher ou algo específico que seu companheiro (a) ou namorado (a) faz ou fala. Fique atento (a) a esses detalhes eles são muito reveladores e podem te ajudar  muito.

Melhore a sua autoestima
     A baixa autoestima está sempre ligada ao ciúme. O ciumento  pode se julgar alguém tão sem adjetivos que pode trocado facilmente. Pior, alguém assim pensa que não vai conseguir outra pessoa. Isso geralmente está ligado a uma autocrítica exagerada e um pouco conhecimento de si mesmo.
    Se você passar a se conhecer melhor, conhecer o seu corpo, o seu jeito de ser e viver, com certeza irá se apaixonar por você.
 
Aprenda a controlar a raiva    
        A pior coisa no ciúme é que ele desperta a raiva ou a ira, existem muitas pessoas que sofrem com esse problema, mas sofrem calados (a maioria diga se de passagem), porém outros são tomados por excessos de fúria e se tornam agressivos e destrutivos. Se você pertence a este ultimo tipo.  

Dicas de profissionais para deixar de ser ciumenta (o)

      As dicas a seguir têm base na psicanálise e apesar de parecerem confusas elas são cientificamente embasadas.

Aprenda a separar o seus pensamentos do pensamentos do outro
    O ciumento costuma atribuir, sem perceber os seus pensamentos e sentimentos ao seu par amoroso, vou dar uma ilustração:

      Imaginemos uma senhora que certo dia se olha no espelho e é tomada pelo seguinte pensamento: “estou velha e feia” é claro que ela vai ficar profundamente triste e vai pensar um bom tempo nisso. Até que ela chega a outro pensamento “meu marido já deve ter percebido que eu estou ficando velha”. Não demora muito para ela chegar à conclusão “meu marido quer me trocar por uma mulher mais jovem”. A partir dai toda a vez que o marido conversa ou ao menos olha para uma mulher mais jovem é um indicio de que ele realmente vai deseja uma pessoa de menos idade.

    Entendeu? Todos os pensamentos são da própria senhora, mas ela vai atribuindo eles ao marido. Esse é um tipo de comportamento comum no ciumento.

Saiba separar a sua vida da vida dos seus pais
   

É uma tendência humana fazer da própria vida uma cópia quase que perfeita da vida dos pais.  Em muitos casos vemos surgir o seguinte pensamento: “meu pai traia a minha mãe, por isso o meu marido também vai me trair, mas eu não vou deixar barato”. Assim o marido (ou a esposa) é considerado culpado até que se prove o contrário. Parece uma forma de pensar um tanto quanto infantil, porém ela é inconsciente e muito frequente.
   Outro fato é que o comportamento ciumento pode ter ser sido apreendido com os pais. Por isso verifique se você não está simplesmente reproduzindo o jeito dos seus pais viverem. Posso dar como exemplo uma senhora que conheci que costumava perseguir o marido com uma vassoura em punhos quando este chegava mais tarde em casa (imagine a cena cômica), quando lhe perguntei ela me afirmou que sua mãe fazia a mesma coisa com o pai.

Será que não você quem quer trair?
    Dentro da Psicologia, mais precisamente na Psicanálise, existe um conceito chamado projeção. Explicando rapidamente, esse mecanismo psicológico atribui ao outro tudo aquilo que inconscientemente não aceitamos em nós.
    Já parou para pensar se você não tem o desejo de conhecer outras pessoas? Isso é uma coisa muito natural (não que você deva fazer, mas como se diz pensar não paga) o que não é natural é recriminar outras pessoas pelos nossos sentimentos.     

   Esse artigo tem o objetivo de fornecer alguns subsídios para que você aprenda a lidar melhor com o ciúme, entretanto as informações contidas nele serão eficientes somente em casos mais leves. Se acreditar que o seu caso é mais complexo que isso, procure por um psicólogo da sua região.

Cesar Augusto S. Borella. Tecnologia do Blogger.

Quem sou eu

Copyright © Psicologo.com

É PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DOS ARTIGOS DO PSICOLOGO.COM SEM A AUTORIZAÇÃO EXPRESSA DO AUTOR