Quando a timidez se torna uma doença
    

Nos últimos meses os artigos que tratam de timidez são os mais lidos no Psicólogo.com. Tenho notado que muitas pessoas que me enviam mensagens e perguntas, não são apenas tímidas, mas são gente que sofrem de um transtorno chamado fobia social e sobre isso que quero falar:

O que é uma fobia?
      Uma fobia é um medo irracional de um objeto específico e determinado (ratos, altura, etc) que faz com que sujeito se esquive ou fuja intencionalmente da situação ou objeto de temor. Quem possui uma fobia sabe que ela é exagerada ou absurda, porém não consegue controlar suas reações. A presença do objeto (situação) temido e até mesmo a antecipação do contato com ele causam no sujeito grande sofrimento.

O que é fobia social?

    É uma forma de fobia cujo objeto de temor são as interações sociais: conversar, falar em público, trabalhar, comer ou fazer qualquer coisa onde o sujeito se veja em situação de observação ou sob julgamento de outros. A fobia social é geralmente confundida com timidez. Essa troca é justificável, pois, fica difícil saber onde termina a vergonha e começa o medo.

Diferença entre timidez e fobia social

    
   A timidez se caracteriza por uma sensação de desconforto ou vergonha diante de situações de interação social, tais como falar em publico ou perguntar algo a um estranho. Uma pessoa tímida costuma ser insegura e introvertida, fala pouco e dificilmente expressa a sua opinião, mas existem situações em que a timidez só aparece em momentos bem específicos tais como falar ao telefone, pedir um favor ou fazer uma reclamação para um terceiro.

    Fobia social é uma patologia psiquiátrica (dentro dos Transtornos Fóbicos Ansiosos) cujo principal Característica é a intensa ansiedade gerada em situações sociais (festas, conversas, até o simples olhar do outro é uma forma de interação).
     Nos dois casos os sintomas de ansiedade podem aparecer.  A diferença é que uma pessoa tímida pode segurar a sua timidez e realizar a suas obrigações ou vontades da melhor maneira que possível. Já um sujeito com fobia social, vai preferir se prejudicar a enfrentar o seu medo. Conheci um rapaz que com muito sacrifício fez todo o seu curso de Psicologia (vai entender), mas desistiu no último momento, justamente na hora de apresentar o TCC, por que não iria conseguir falar em público. Isso é um exemplo claro de fobia social.
   Pessoas tímidas tendem a serem mais extrovertidas, quando estão rodeadas de pessoas em que confia, por exemplo, parentes e amigos.  Quando um indivíduo não se sente a vontade em nenhum ambiente em que haja interação social (mesmo diante de conhecidos) ele pode estar sofrendo de Fobia social.
   Ao contrário dos outros transtornos ansiosos a fobia social aparece principalmente em homens, por regra ela surge de maneira leve e vai se acentuando gradualmente, ou seja, ainda na infância se é uma criança tímida e introvertida, aos poucos se torna um adulto com fobia social. 

Fobia social: sintomas

     Pessoas cm fobia social, assim com qualquer outra forma de fobia apresentam sintomas físicos quando são obrigadas a enfrentarem seus medos. Esses sintomas são reações orgânicas naturais (taquicardia, sudorese, respiração ofegante...) e estão ligadas a ansiedade (veja tabela ao lado). Além desses existem outros que são específicos desse transtorno:
a)   Medo ou temor acentuado e persistente diante de uma ou mais forma de interação social onde o individuo possa ser avaliado por outras pessoas.
b)   Medo de agir de forma embaraçosa ou humilhante diante de pessoas estranhas ou conhecidas. Esse temor inclui o fato dos outros perceberem que ele está nervoso ou ansioso.
c)   O comportamento de evitar ou se esquivar de situações de interação social interferem significativamente na rotina do sujeito, fazendo com que ele evite qualquer forma de realizar tarefas que para outros seriam simples e corriqueiras.
d)   Estar exposto a situações sociais, quase sempre levam a crises de ansiedade intensa que por vezes podem se tornar Ataques de Pânico.
e)   Compreensão de que esse medo é excessivo e irracional
f)    O comportamento ansioso não pode estar ligado ao uso de algum tipo de substancia (droga ou remédio) e nem a presença de outra doença médica ou psicológica.       

Tratamento para fobia social e timidez

 Psicoterapia cognitiva comportamental: de modo geral envolvem modificação da forma como você formula e associa ideias e pensamentos (retreinamento cognitivo); treinos que fazem com que a ansiedade e o medo de situações sociais sejam diminuídos (dessensibilização); ensaios guiados pelo terapeuta durante as sessões; tarefas e exercícios para serem realizados em casa.
    Medicamentos: alguns medicamentos mostram-se efetivos no tratamento de fobia social, sobre tudo os inibidores de monoaminoxidase. Tenha em mente que para ter acesso a esses medicamentos é necessário passar pela avaliação de um médico (psiquiatra), por isso mesmo não irei mencionar nomes comerciais.
  Terapias analíticas: (psicanálise, psicoterapia existencial etc.) pretendem arrancar o mal pela raiz, tentando identificar o que gerou o problema e dessa forma fazendo o paciente progredir como um todo. A questão é que elas trazem benefícios em longo prazo, mas quem tiver paciência colhe melhores frutos com esse tipo de tratamento.
As pesquisas mostram que a combinação entre medicação e psicoterapia traz melhores resultados do que qualquer uma delas separadas. Por isso para um tratamento eficaz consulte um médico e um psicólogo simultaneamente. 

22 Responses so far.

Deixe um Comentario

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

Cesar Augusto S. Borella. Tecnologia do Blogger.

Quem sou eu

Copyright © Psicologo.com

É PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DOS ARTIGOS DO PSICOLOGO.COM SEM A AUTORIZAÇÃO EXPRESSA DO AUTOR