10 Dicas para apimentar a sua vida amorosa

10 Dicas para esquentar a sua vida amorosa

Depois de tanto tempo junto parece que a paixão que deu início ao seu amor se extinguiu? Sua relação é satisfatória, porém já não possui mais aquele beijo que incendiava seu corpo e desejo de não sair do quarto o dia todo? Ao contrário do que diz o senso comum sexo é uma parte muito importante no relacionamento e por ele passa a felicidade de um casal, aliás muitos dos casais que buscam auxílio de um psicólogo sofrem com problemas na cama. Por essa razão o Psicólogo SP .com fez uma pesquisa, conversou com alguns especialistas e listou 10 dicas que podem apimentar a sua relação.

1.   Tenha tempo e espaço para a intimidade
Trabalho, cuidar dos filhos, tarefas domésticas e outros afazeres acabam por ocupar quase todo o nosso tempo, contudo não se deve negligenciar os momentos em que o casal passa a só. Organize-se de modo que pelo menos de vez em quando você possam sair sozinhos para um lugar digamos mais íntimo. No artigo Como cuidar dos filhos sem negligenciar o casamento eu falei sobre os benefícios que tal pratica dá ao casamento.


2.   Revele os seus desejos
Possui alguma fantasia secreta ou um desejo escondido? Que tal revelar isso para a pessoa com quem se relaciona? Conversar sobre esses temas pode trazer de volta a sensualidade enfraquecida pelo tempo e tarefas diárias, além de existir a possibilidade de que você consiga realizar o tal sonho.

3.   Passe um tempo longe
Nada é tão capaz de trazer de volta a atração quanto à saudade, o beijo que se dá em alguém que não se vê há muito tempo é sempre mais intenso. Experimente voltar a estudar, fazer um curso (frequentar uma academia), ou visitar algum parente sem a presença do cônjuge. Caso essas coisas não sejam possíveis tente organizar a sua rotina de maneira que o tempo de vocês juntos tenha uma diminuída significativa. Lembre-se isso não para sempre apenas durante um tempo para reforçar o interesse da pessoa amada.

4.   Conversem sobre as suas preferências

Que tipo de carecia ele ou ela gostam? Com qual intensidade? Será que o jeito que você faz está agradando? Tem certeza? Para a relação ser realmente prazerosa é preciso que ambos os membros do casal conheçam a preferência do outro o que na maioria dos casos não é acontece. Na verdade muitos casais tem medo de ter essa conversa por acreditar que isso pode ser interpretado como uma forma de crítica ao parceiro, entenda que isso não é verdade e que tratar desse tema é importante para manter o interesse na sua relação.


5. Mantenha o romance e a harmonia
Poucos são os casais que continuam sentindo-se atraídos quando o romance foi deixado para trás. Romantismo e demonstrações de amor são importantes e estimulantes tanto para mulheres quanto para homens, por essa razão ele não deve ser deixado de lado.


6. Jogos e brincadeiras
 Jogos, brinquedos e brincadeiras é a primeira coisa que um casal saudável procura quando deseja apimentar a sua relação. Essa estratégia costuma dar certo se você fizer as escolhas certas, por essa razão é uma ótima ideia que o casal faça uma visita a um sexshop e compre um brinquedo, fantasia ou jogo que interesse a ambos. Existem também sites e livros que dão ideias de jogos e brincadeiras para fazer na cama.

7. Não espere a vontade chegar
Não é todo o dia que estamos dispostos para o sexo, mas se esperar pela vontade... talvez ela não venha tão cedo. Lembre-se que a relação sexual não é apenas para a satisfação pessoal, e sim uma forma de carinho e de estreitar a intimidade entre os pares. Desse modo, quando seu companheiro ou companheira lhe procurar a noite esqueça o cansaço e dê o seu melhor.

8. Trabalhe a sua autoestima

Quando não se gosta de si mesmo fica difícil acreditar que outra pessoa possa te achar bonita(o) e te desejar. E se sentir atraente é muito importante quando se está com a pessoa amada, tanto para as mulheres quanto para homens. Se você está fugindo na hora h por achar que está feia(o) experimente cuidar mais da sua autoestima.

9. Faça exercícios físicos
Exercícios físicos afastam o estresse, a depressão, aumentam disposição e melhoram a autoestima. Todos esses fatores em conjunto significam uma vida intima mais ativa sem contar que o seu desempenho também irá um upgrade.

10. Pense no bem estar do seu par
Já mencionei em outras postagens que o homem que realiza tarefas domésticas se torna mais atraente para a sua companheira e consequentemente tem uma vida sexual mais intensa. Agora gostaria de estender essa informação:

Quando você se preocupa com o bem estar da pessoa amada esta tenta lhe recompensar de alguma maneira.

Então, seja você homem ou mulher procure auxiliar seu cônjuge nos momentos que puder, evite trazer problemas e preocupações inúteis e não faça exigências que sabe que ele(a) não pode cumprir. Fazer isso não irá melhorar apenas a sua vida intima, mas toda a sua relação.  
  

Medo do sucesso: A síndrome do impostor

 Medo do sucesso: A síndrome do impostor

Você se sente incomodo quando é elogiado no seu trabalho?  Acredita que não é competente para exercer a função que possui? Imagina que suas vitórias se deram mais por sorte do que pelo seu mérito? Talvez você esteja sofrendo da Síndrome do Impostor.

O que é a Síndrome do Impostor?

Calma! Isso não é uma doença, trata-se apenas um nome que descreve uma série de sentimentos que afligem sete a cada dez profissionais. Quem sofre desse problema costuma questionar o próprio mérito de chegar onde está e atribuir o seu sucesso a sorte, a influência de outras pessoas ou a qualquer outra coisa. Também é conhecido como Fenômeno do Impostor e Síndrome da Fraude.

Qual é o problema em se sentir assim?

O fato de não se sentir capaz de realizar as tarefas pertinentes ao cargo que se ocupa gera grande estresse, o profissional se obriga a fazer o melhor trabalho possível para que ninguém perceba a sua inaptidão desenvolvendo um perfeccionismo quase patológico. Muitos passam a acreditar que precisam trabalhar mais tempo para render o mesmo que os outros, o que os tornam “viciados em trabalho”.

Profissionalmente o maior problema é o medo de receber uma promoção ou de se arriscar em outro cargo e/ou lugar. Por isso tantos profissionais recebem propostas de trabalhar em outro local com salário melhor e simplesmente rejeitam.


Veja também:


homem temeroso de passar por uma corda para adquirir uma coroa de ouro

Quem tem maior propensão a sofrer desse problema?

Esse problema atinge principalmente pessoas que possuem baixa autoestima, não é raro aparecer em pessoas que sofreram (ou sofrem) bullying ou algo tipo de descriminação (gênero, cor, etc.). A rápida expansão do mercado brasileiro (e dos chamados países emergentes) que ocorreu nos últimos anos fez com que muitos jovens assumissem cargos de chefia ou de destaque e por essa razão é que atualmente eles são os mais propensos a tal problema.

Sinais da síndrome do impostor

·       Atribui os seus sucessos a causas externas: Sorte, conhecer pessoas influentes, cair nas graças do patrão.... Tudo é considerado responsável pelo sucesso profissional, menos sua própria capacidade.

·       Vício em trabalho: Trabalhar o máximo possível e sem medir esforços são uma forma de compensar o sentimento de que é inferior a todos os outros funcionários.

·       Se esforçar pouco: Parecer preguiçoso e desleixado é melhor do que ser “burro” e incapaz, assim pensa quem sofre com a síndrome do impostor, por isso tais pessoas podem agir de maneira inversa ao dito no tópico anterior.

·       Tenta se tornar invisível: fazer de tudo para não chamar a atenção, se for possível escolhe profissões e trabalhos que sejam simples e discretos.

·       Ressalta os fracassos e esquece os sucessos: age como se as coisas boas que realizou nunca tivessem acontecido ou são banais, mas faz com que os erros, ainda que pequenos pareçam enormes.

·       Sabota a si mesmo: Sem perceber comete erros grosseiros e que podem custar o seu cargo.

Dicas para superar a síndrome do impostor

Entenda que sorte não é tudo
       

A sorte pode ter lhe ajudado, mas ela não dura para sempre e não ocorre o tempo todo. Então se conseguiu segurar o que pensa que a sorte lhe deu é por que você realmente mereceu isso.

Lembre-se: Errar é humano
        Não se cobre tanto pelos seus erros e falhas, pois errar é inevitável. Por melhor que seja um profissional mais cedo ou mais tarde ele vai errar. Entretanto o erro não precisa ser algo ruim, ele te ajuda a perceber o que pode e o que não pode dar certo.

Evite comparações
Poucas são as pessoas que conseguem a atingir o nível dos extraordinários e ficar tentando se comparar a elas vai apenas te fazer sentir-se inferior. Você precisa superar apena a si mesmo, tente melhorar a cada dia, porém aceite suas limitações e trabalhe as suas potencialidades.

Não fique se testando
A fim de provar a si mesmo aos demais (como se eles estivessem se importando) que é competente, quem sofre da síndrome por vezes buscam risco e desafios: assume trabalhos difíceis, se encarrega de duas tarefas ao mesmo tempo etc. Isso não precisa ser necessariamente ruim, desde que não pegue obrigações que não seja capaz de cumprir.

Ouça o feedback das pessoas certas
        Nada nos deixa mais confiante do que a opinião das pessoas certas. Sim das pessoas certas! Afinal existem aqueles cujas as opiniões não influem em nada na nossa vida, e você sabe diferenciar esses dois tipos de pessoa não é mesmo?

Lembre-se de que não está só
        Esse é um mal que atinge milhares de profissionais em todo mundo, então não se iluda acreditando que apenas você sofre com esse problema. Muitas pessoas superaram a síndrome do impostor e você também pode superar.

Com quem procurar ajuda?

        A síndrome do impostor é causada por fatores emocionais e aprendizagem ambiental, desse modo um (a) psicólogo (a) é o profissional capacitado para trabalhar esse transtorno. A psicoterapia é capaz de solucionar problemas de autoconfiança, autoestima e valoração pessoal.

Transtorno bipolar: o que é qual o tratamento

Transtorno bipolar

Não é raro encontrarmos quem se autodiagnostica ou afirma erroneamente que outra pessoa é bipolar, isso acontece por que mesmo não sendo tão raro esse transtorno é um tanto quanto complexo e divide sintomas e características com outras patologias psiquiátricas/psicológicas, por essa razão até mesmo profissionais de saúde (médicos e psicólogos) evitem dar esse diagnóstico. Nesse artigo eu me proponho a difícil tarefa de explicar o que é, quais as causas, o tratamento e como controlar o transtorno bipolar.

Entendendo o transtorno bipolar

Para se entender verdadeiramente o que é o transtorno bipolar é necessário conhecer alguns conceitos básicos de psicopatologia e é isso que iremos ver agora.

O que é humor psicológico?

O transtorno bipolar tem como principal sintoma a oscilação do humor. Mas o que os psicólogos entendem por humor? Esse termo se refere a uma espécie de energia que dá força aos nossos pensamentos e comportamentos, quando uma pessoa está com humor baixo (depressão) é como se ela estivesse com as pilhas fracas, não tem vontade de fazer nada e até mesmo as emoções ficam menos intensas. Quando se está com o humor alto (euforia ou mania) o comportamento, os pensamentos e até mesmo as emoções se tornam mais intensos e enérgicos.

Euforia

É um estado de exaltação do humor, o indivíduo se sente extremamente alegre e cheio de energia sem que haja nenhuma razão para isso. A euforia também pode se apresentar como irritação, nervosismo e até mesmo agressividade. O surgimento da euforia é súbito, mas na maioria das vezes o sujeito não percebe o seu aparecimento (é notado apenas pelos outros).

        Durante o estado eufórico o senso crítico e a avaliação racional da realidade ficam prejudicados, fazendo com que a pessoa acredite que possa fazer coisas que não condizem com o mundo real, por exemplo atravessar paredes ou voar. Ocorrem ainda casos em uma pessoa em mania acredite ser capaz de efetivar tarefas para as quais não possui treinamento adequado, como pilotar um avião ou realizar uma cirurgia. Essa característica fez com que muitos bipolares fossem diagnosticados como esquizofrênico por profissionais menos atentos.

        A euforia pode ser acompanhada por maior disposição e interesse sexual, aumento da interação social, redução do sono e menor capacidade de concentração.
        O indivíduo se torna extremante confiante a autoestima vai a alturas, me lembro de uma paciente que quando em estado de mania no auge dos seus 150 kg acredita ser capaz de seduzir qualquer um.

Depressão
Não vou descrever a depressão nesse artigo por já ter feito isso no post o que é Depressão, sugiro que o leia se quiser saber mais. Podemos dizer que ela apresenta praticamente o inverso de todas as características da euforia/mania.   
Depressão unipolar e bipolaridade: Pessimismo e pensamentos derrotistas são sintomas da depressão, em uma depressão mais branda esses sintomas podem causar irritação, agitação e animosidade o que pode ser confundido com euforia, ao passo que quando o estado depressivo se intensifica não sobra energia para que o sujeito reaja assim. Desse modo é comum vermos pessoas acreditarem que são bipolares quando sofrem de depressão unipolar. 
  

O que é transtorno bipolar?

Trata-se do distúrbio psiquiátrico em que o paciente passa por oscilações bruscas de humor, transitando da depressão a euforia em períodos muito curtos sem que haja nenhuma causa aparente. O personagem Mr. Jones interpretado Por Richard Gere sofre do transtorno e seu comportamento condiz com o diagnóstico.

Bipolaridade e dupla personalidade
Como disse o humor influência na intensidade das nossas emoções (sentimentos e afetos também), isso acaba por ressaltar ou amenizar os traços de personalidade que um sujeito já tem. Desse modo alguém que é briguento quando estiver em euforia pode ser extremamente agressiva ao passo que em depressão pode parecer mais pacífico. Essa mudança dá a impressão de que estamos lidando com pessoas totalmente diferentes, mas na verdade o que mudou foi a intensidade das emoções. A mudança da extrema autoconfiança típica da euforia para baixa autoconfiança típica da depressão é outro fator que fez por muitos anos pessoas chamarem o transtorno bipolar de portadores de dupla personalidade.

Momentos de equilíbrio: Entre as oscilações podem ocorrer momentos em que o indivíduo bipolar se encontre em estado de humor dentro do considerado normal, mas em geral isso é apenas uma passagem para o outro extremo.

Apego ao transtorno: não é incomum que as pessoas bipolares entendam o seu transtorno como parte de sua personalidade e gostem dos estados de mania, em geral elas querem se livrar da depressão mais não da euforia.
  

Dicas para controlar o transtorno bipolar

Evite o pensamento oito ou oitenta
Pessoas bipolares costumam ser levados por pensamentos de tudo ou nada:
·       A vida é perfeita ou eu prefiro morrer
·       Você adora tudo o que eu faço ou me odeia
·       As coisas acontecem do jeito que planejei ou são um desastre
Aqui está o que chamamos de erro cognitivo, um problema que acaba gerando inúmeros distúrbios psicológicos, entenda mais sobre esse fenômeno lendo: O que são pensamentos automáticos?

O Mundo não apenas preto ou branco, na verdade existe inúmeros tons de cinza entre eles. Então nada é inteiramente ruim sempre tiramos algo de bom mesmo das piores situações.

Durma mais e com mais qualidade
        A correlação entre problemas do sono e transtornos mentais já é notada a muito tempo, pessoas que dormem pouco sofrem mais de ansiedade e depressão, contudo pesquisas recentes apontam que a falta de sono pode estar relacionada a oscilação do humor e com o surgimento do transtorno bipolar. Ainda que a insônia não seja a causa desse transtorno, ela com certeza intensifica os seus sintomas por essa razão procure ter boas noites de sono todos os dias.


Alimente-se bem
        Nossas emoções e o nosso humor são regulados por substâncias químicas obtidas normalmente através da nossa alimentação, uma alimentação desiquilibrada pode acarretar não apenas doenças físicas como também transtornos psicológicos e emocionais.  Para entender melhor leia:
Mantenha a mente em equilíbrio

        A falta de autocontrole é exatamente o que mais atrapalha a quem sofre de transtorno bipolar. A dificuldade em se controlar leva as súbitas mudanças no estado emocional e aos comportamentos inadequados dos quais o bipolar pode se arrepender depois. Exercícios tais como Yoga, meditação e a prática de artes marciais além de aumentarem a capacidade de autocontenção trazem um estado de harmonia que em geral falta a que sofre de transtorno bipolar.
  • Exercícios de relaxamento e distração psicológica 
  • Como controlar a própria mente?

Qual é o tratamento para o transtorno bipolar?


A psicoterapia clínica e a psicoterapia medicamentosa são as formas terapêuticas mais tradicionais e consideradas as mais eficientes no tratamento do Transtorno bipolar. Se individualmente elas dão resultado a combinação de ambas traz melhoras ainda mais significativas.

Psicoterapia e transtorno bipolar


A condução, as técnicas e objetivos da psicoterapia no tratamento do transtorno bipolar variam de acordo com o psicólogo e a linha teórica que ele (a) segue, mas na maioria dos casos podemos listar:
Autocontrole: O psicólogo ensina técnicas e auxilia o paciente controlar os próprios pensamentos e emoções tornando-o capaz de evitar que as crises de depressão e/ou euforia surjam a qualquer momento. O psicólogo auxilia também o paciente a conter os comportamentos mais autodestrutivos e prejudiciais que podem surgir durante os surtos.
Administração de conflitos internos e interpessoais: pacientes bipolares costumam ter uma vida marcada por conflitos com familiares e outras pessoas com as quais se relaciona, não é raro que essa doença tenha surgido após a morte de ente querido, divórcio, demissão outra situação fragilizante. Esses problemas tanto podem ser a causa quanto podem estar intensificando os sintomas do transtorno, nesse caso o psicólogo ajudará o paciente a elaborar e em alguns casos solucionar tais conflitos.
Orientação e terapia familiar: O apoio da família é essencial para que o paciente bipolar consiga uma boa recuperação, contudo nem sempre os familiares compreendem a natureza dessa doença ou sabem o que podem fazer para ajudar o parente que sofre desse mal. O psicólogo pode intervir orientando a família sobre formas de lidar com a situação e até mesmo até mesmo realizar terapia familiar para trabalhar possíveis conflitos que estejam relacionados ao transtorno.


Remédios e Transtorno Bipolar


As pessoas reagem de maneira diferente a medicação, afinal cada organismo é único, por essa razão existe variações de remédios e dosagem para o tratamento do Transtorno Bipolar. O profissional competente para prescrever essa terapêutica é o psiquiatra, não hesite em procurar por um caso tenha a necessidade.
Anticonvulsivos: os medicamentos anticunvulsivos tais como Rivotril e Gardenal são utilizados como estabilizadores de humor em alguns casos.
Antipsicóticos: Exemplo desses medicamentos são o Clorpromazina, Haloperidol, eles são usados para combater alguns dos sintomas do transtorno e controlar surtos de mania.
Antidepressivos: Fluoxetina e Sertralina estão nessa classe. Podem ser usados para combater os surtos depressivos, porém costumam ser combinados com algum outro estabilizador de humor pois seu uso pode aumentar a incidência de episódios de euforia.
Antimaníacos: essa nomenclatura controversa é representada basicamente pelo Lítio e como é possível deduzir sua função, que é controlar o estado maníaco/eufórico, além disso estabiliza as atividades do cérebro.
Espero que esse artigo tenha sido útil, não se automedique e não se leve pela ilusão de que pode se curar sozinho (a), procure por um profissional competente. 
 

Como controlar os meus pensamentos?

Como controlar os meus pensamentos?

       

Sendo psicólogo vejo o quanto a mente humana pode fazer maravilhas, porém ao mesmo tempo ela consegue deixar uma pessoa na ruína.  A imensa maioria dos problemas descritos aqui nesse site, assim como as perguntas e comentários feitos pelos leitores se dão exatamente pelo fato das pessoas não conseguirem dominar minimamente a própria mente e os seus pensamentos.  Esse problema é tão comum que afeta também aos psicólogos, aliás, parei para refletir sobre isso quando li o comentário de algumas colegas na postagem “como desenvolver a empatia”. Dominar a própria mente era para ser algo natural, no entanto na nossa sociedade ocidental o normal é sermos escravos dos nossos pensamentos.

É possível controlar os meus próprios pensamentos?

        Sim você tem a capacidade de pensar o que quiser e se quiser, todas as coisas que surgem em sua mente foram postas lá por você mesmo, ainda que desconheça a razão pela qual fez isso.

Eu não concordo com você! Não sou eu que controlo os meus pensamentos! Certo... Então me responda: se não é você que controla os seus pensamentos... Quem os controla?
Se você tiver outra resposta para essa pergunta e acreditar que alguma pessoa, ser ou entidade seja a verdadeira responsável pelo que passa pela sua mente então você pode estar sofrendo do transtorno chamado esquizofrenia, nesse caso procure um médico.


Aprendendo a controlar os pensamentos

        Você não consegue dominar a sua mente simplesmente por que não aprendeu a fazer isso, aliás, não foi treinado. Por essa razão é que está à mercê de sentimentos nocivos o tempo todo como a raiva, ciúme, culpa, medo e todos os outros.

A multidão dentro da sua cabeça
        Já tentou conversar com alguém no meio de uma multidão? Se sua resposta for sim então você sabe o quanto isso é complicado. Quando se tem várias pessoas falando de uma só vez ficamos sem controle de quem devemos escutar ou prestar atenção. O mesmo ocorre quando vários pensamentos e preocupações surgem na sua cabeça de uma única vez.

        Alguns desses pensamentos te dizem que tudo vai dar certo e não há razão para se preocupar enquanto outros lembram de todas as coisas terríveis que podem acontecer. Uns pensamentos te exaltam e falam da sua qualidade, entretanto outros lhe humilham e te lembram do que você prefere esquecer.

        No meio desse tumulto de pensamentos e ideias a única coisa que pode prevalecer é a confusão, a ansiedade e a tristeza.

Ouvindo um pensamento por vez
        Não se pode calar uma multidão durante muito tempo, a solução mais simples é organizá-la fazendo com que cada um espere a sua vez de falar. É exatamente isso que você deve fazer com seus pensamentos: organiza-los! Depois disso se torna mais fácil distinguir quais pensamentos estão certos e merecem ser ouvidos e quais estão errados e devem ser ignorados.

Vivendo o agora
        No artigo livre-se do sentimento de culpa eu mencionei o fato de que a culpa e a tristeza são a nossa mente presa no passado enquanto as preocupações e a ansiedade são a nossa mente focada em um futuro ruim. Não se pode mudar o passado e nada podemos fazer pelo futuro enquanto ele não chegar, o único momento que temos o poder de interferir é o presente e é nele que a nossa mente deve passar a maior parte do tempo.

A mente treinada e a mente destreinada
        Atletas de ponta, cirurgiões renomados e até psicoterapeutas famosos... O que eles têm em comum? Uma mente disciplinada capaz de manter a concentração por longos períodos, de posse de instrumento poderoso eles são capazes escolher qual a melhor atitude a tomar em frações de segundos, ao contrário de você querido leitor que dotado de uma mente destreinada demora dias para decidir as coisas mais simples, na verdade para uma mente indisciplinada é difícil até mesmo receber os benefícios da análise e psicoterapia. 
  

Como treinar a sua mente?

        Do mesmo modo que podemos  treinar o nosso corpo para que ele se torne mais forte, mais rápido ou ainda mais flexível podemos treinar nossa mente para que ela se torne mais ordenada e disciplinada.
        A seguir irei passar algumas técnicas que se bem aplicadas farão com que praticamente qualquer pessoa seja capaz de dominar a própria mente.

Técnica 1: Exercícios de concentração
        Em minha opinião a melhor forma de se disciplinar a mente é através dos exercícios de concentração. Tais práticas costumam causar desconforto nos pacientes devido ao fato delas serem associa-las ao espiritualismo ou questões mediúnicas e parapsicológicas. No entanto não é por esses setores fazerem uso de tais exercícios que eles perdem sua eficácia ou vão além do que a ciência pode provar.

        Já escrevi alguns exercícios de concentração em outra postagem, mas você não é obrigado a ler tudo o que eu escrevo não é mesmo? Então  irei ensiná-los novamente.

O relógio
        Para realizar esse exercício é necessário um relógio de ponteiro (corda ou bateria) que esteja funcionando.

    O objetivo aqui, como o já mencionado, é aprender a calar os seus pensamentos fazendo com que eles surjam apenas quando você que queira.

        Permaneça sentado em uma posição confortável diante do relógio olhando fixamente para o ponteiro de segundo não fazendo mais nada além de observar o seu movimento do ponteiro. Não se permita pensar em absolutamente em nada, em sua mente deve prevalecer o mais completo silêncio. Até mesmo coisas como: “estou me sentido relaxado” ou “está se saindo bem” podem surgir, afinal isso também são pensamentos e como tal devem ser evitados nesse momento.

        Assim que perceber que teve um pensamento observe quantos segundos o ponteiro se moveu, provavelmente na primeira tentativa você não passará dos cinco segundos. Tente novamente se esforçado para aumentar esse tempo. Repita esse procedimento várias vezes por dia todos os dias até que consiga passar de um minuto sem que nenhum pensamento ocupe sua mente.

Vivendo o momento presente
      Durante o dia realizamos praticamente todas as nossas tarefas de maneira automática quase como se fossemos robôs, enquanto isso a nossa mente viaja sem controle nos levando hora para locais maravilhosos, hora para situações extremamente desconfortáveis. De agora em diante tente prestar a máxima atenção ao que você está fazendo seja lavando uma louça, seja dirigindo de volta para casa. Isso não apenas terá dará maior controle da sua mente, mas da sua vida...

 A moeda:
Para esse exercício será necessária uma moeda de qualquer valor.

        Observe um dos lados de uma moeda com o máximo de sua atenção até que consiga ter uma ótima imagem mental da moeda. Depois dessa etapa feche os olhos e tente recriar a imagem da moeda na sua mente. Provavelmente irá se decepcionar quando notar que se esqueceu de detalhes básicos, mas não se desanime isso é o reflexo do quanto a sua mente está destreinada.

Dica: No Curso Supere a Ansiedade a terapeuta Luci Porcino ensina outras técnicas de concentração e de meditação que irão te ajudar a dominar a sua mente e suas emoções de maneira natural e sem a necessidade de remédios.  

Técnica 2: O Método TCC
        A Terapia Cognitiva Comportamental (TCC) comprovou que os nossos sentimentos surgem como uma reação aos nossos pensamentos, por exemplo:

Pensamento
Sentimento correlacionado
Lembrar bronca injusta do chefe
Raiva, tristeza

        Desse modo uma maneira prática de controlar os pensamentos indesejados é Monitorar a as emoções.

Como fazer: Assim que notar uma emoção muito forte, tente identificar qual o pensamento que lhe causou tal comoção, o pensamento imediato pode parecer sem sentido e ter surgido do nada, por essa razão é necessário cavar um pouco mais identificando o pensamento anterior a ele.

Desconstrua o pensamento ruim: Assim que você encontrar o pensamento que engatilhou a emoção ruim o que deve ser feito é desconstruí-lo. Mostrar a si mesmo (única pessoa que precisa ser convencida) do quanto ele está errado. Não vou me aprofundar nisso por já ter escrito acerca dessas técnicas nas postagens:

·         Como evitar erros cognitivos
·         Livre-se dos pensamentos ruins

Técnica 3: A elaboração
        Por vezes acontece conosco ou pensamos coisas que não gostamos ou não aceitamos. Tentar reprimir tais memórias ou pensamentos pode parecer o melhor a ser feito, entretanto ideias não podem ser represadas como fazemos com água. Aquilo que tentamos ocultar de nossa consciência tende a retornar a nossa mente seja no formato de ideias claras seja no formato de pensamentos confusos e obscuros.

        Como fazer: Procurar o sentido e o significado oculto por traz dos pensamentos incômodos. Em alguns casos o mero ato de saber o que realmente está lhe incomodando pode retirar de vez tais pensamentos da sua mente, todavia se você resolveu esconder (ainda que inconscientemente) algo de si mesmo é por que não conseguia lidar com isso, por essa razão tal prática deve ser acompanhada por um psicólogo.

Quem sou eu

Cesar Augusto S. Borella. Tecnologia do Blogger.

Curta Nossa Página

Copyright © Psicologo SP .com

É PROIBIDA A REPRODUÇÃO TOTAL OU PARCIAL DOS ARTIGOS DO Psicologo SP .Com SEM A AUTORIZAÇÃO EXPRESSA DO AUTOR